Novo técnico do Botafogo-PB fala sobre preferência por jogo ofensivo

Foto: Reprodução/ TV Belo

Na tarde de ontem (03), Gerson Gusmão foi apresentado oficialmente como novo técnico do Botafogo-PB. O profissional de 46 anos vai para seu terceiro clube na carreira, mas vem de uma passagem de mais de quatro anos pelo Operário-PR, onde venceu as Séries D e C do Campeonato Brasileiro em 2017 e 2018.

O profissional sabe que um trabalho tão longevo é um ponto fora da curva na moenda de treinadores que é o futebol no Brasil, mas espera fazer um bom trabalho em João Pessoa. Para isso, conta com seu conhecimento de vários atletas que estão na Maravilha do Contorno.

– Fiquei um período longo no meu último clube, um fator atípico no futebol brasileiro. Aceitei o convite porque tive ótimas referências. O momento não é bom, mas o elenco tem condições, é um elenco que conheço muitos jogadores, de trabalhar com alguns e jogar contra outros. O Fred, Pablo, Clayton, Juninho, e outros atletas eu já tive a felicidade de enfrentar e acompanhar suas carreiras – apontou.

No ano passado, Gerson Gusmão pediu a contratação de Clayton para a equipe paranaense, que disputava a Série B do Campeonato Brasileiro. Entretanto, o CR7, como é conhecido pela torcida botafoguense, passou por um longo período lesionado e não conseguiu brilhar por lá. O técnico agora tem a missão de fazer com que o meia volte a desempenhar o futebol que fez despertar seu interesse no atleta.

– Precisamos resgatar. Vamos conversar com ele, ver a real condição física. É um jogador diferenciado, que pode desequilibrar, mas precisa estar bem. No meu ex-clube pedi a contratação dele pelo bom momento que ele teve aqui no Botafogo-PB. Vamos procurar com ele, em conjunto com toda comissão, para que o Clayton possa render o que todo mundo espera dele – afirmou.

Sobre a situação atual do Botafogo-PB, lanterna de seu grupo na Copa do Nordeste e ainda sem vencer em 2021, o novo comandante do Belo afirmou que vai buscar vencer nas partidas contra Confiança e Santa Cruz, mas sabe que a classificação é um sonho apenas matemático.

Pensando no Paraibano e na Série C do Brasileiro, assim como a torcida, Gerson espera a chegada de alguns reforços, mas primeiro vai avaliar o atual elenco no dia dia de trabalho.

– Acompanhei quase todos os jogos da equipe na Copa do Nordeste, mas o dia dia é diferente, você tem que conhecer a realidade de treino do atleta para fazer a avaliação mais criteriosa. O torcedor espera que a equipe evolua e que cheguem reforços para que isso possa acontecer o mais breve possível – explicou.

Em seis jogos no ano, o Belo marcou quatro gols apenas. Marcelo Vilar, demitido, falava nas entrevistas que o ataque precisava aproveitar melhor as oportunidades, situação que Gerson Gusmão concorda. Entretanto, diferente do antigo técnico, o estilo de jogo que o novo treinador pretende implantar é ofensivo, de controle de jogo.

– Gosto que minhas equipes controlem o jogo, não gosto de uma equipe muito reativa, é uma tendência do futebol. Vou por uma linha um pouco diferente, gosto que tenha condição de controlar o jogo, com a bola no campo do adversário. Quanto mais perto do gol estivermos, a maior é a probabilidade de marcarmos o gol, mas isso requer treinamento, muita  conversa, muito entendimento para a gente ajustar isso. O ataque precisa ser mais efetivo, marcar mais gols para que a gente possa ter números melhores – concluiu.

O Botafogo-PB entra em campo nesta segunda-feira (05), pela sétima rodada da Copa do Nordeste. No estádio Almeidão, liberado pelo governo do estado, o Belo vai enfrentar o Confiança, às 19h30.

Equipe @Vozdatorcida