Blog do VT – FPF cria mata-mata sem morte e faz Serrano, CSP e você de bobos

Foto: Divulgação/FPF

A Federação Paraibana de Futebol (FPF) conseguiu fazer um mata-mata que não mata ninguém e está fazendo CSP, Serrano, eu e você de bobos. Além da polêmica em relação a quem vai ter vantagens nas semifinais protagonizada pela própria FPF, Treze, Sousa e Botafogo-PB, o regulamento do Campeonato Paraibano 2018 traz mais uma complicação grave em sua redação.

Após olhares do amigo jornalista bobo Cadu Vieira e meus, derramados sob a carta magna do torneio deste ano, fica claro que Botafogo-PB e Sousa já estão classificados para as semifinais. O texto, mesmo que contrariando a ideia de uma pré-semifinal eliminatória que, imagino eu, era o objetivo da fase, é cristalino.

No famigerado artigo nove, que explica o sistema de disputa do Paraibano deste ano, em seu inciso terceiro, que fala sobre a segunda fase do Estadual, a redação fala que “os dois clubes de melhor índice técnico, somados os resultados obtidos na primeira e segunda fases do campeonato ficam definidos como terceiros e quarto colocados e classificados à semifinal.”.

Trocando em miúdos pela situação atual, mesmo que Serrano ou CSP “passe de fase” ganhando as duas sobre o adversário, não alcança a pontuação nem de Sousa nem de Botafogo-PB, mesmo que um destes perca seus dois jogos. É um mata-mata sem morte, para Tigre e Lobo. Ou uma fase natimorta. Façanha da FPF e seu escritor de regulamentos.

Serrano e CSP jogam um amistoso de luxo (ou de luto) a partir desta quinta-feira. Enquanto que Sousa e Botafogo-PB fazem viagens sem sentido. Mais uma bizarrice de um campeonato confuso. Que foi pensado, acertadamente, para acabar de acordo com o calendário da CBF. Mas que não foi pensado para funcionar. Como previsto em quase todos os regulamentos, os casos omissos devem ser resolvidos pelo organizador do campeonato. Mas são tantos. E quando são muitos, criados por quem deveria evitá-los, alguém normalmente precisa intervir. E, normalmente, é o tapetão. Que a cada dia se aproxima desse torneio.

Às vezes ainda acho que é Rosilene que está sentada lá na sala do primeiro andar do prédio da bola do bairro de Tambiá, na Capital. Ledo engano. Homem mesmo é quem faz besteira no comando do futebol. E essa conta é de Amadeu. E dos clubes. Que só agora percebem as problemáticas do regulamento e vão usando as linhas tortas de um documento para tentar se safar de fracassos das quatro linhas. Todos homens, lembremos.