Altos salários impediram dois nomes de fechar com o Botafogo-PB

Michel Bastos foi procurado para assumir a 10 botafoguense

Na véspera do seu aniversário de 88 anos, o Botafogo-PB segue para fechar, ainda antes do início da pré-temporada, praticamente todo seu elenco que vai disputar as competições que constam no calendário do clube em 2020, o Campeonato Paraibano, Copa do Nordeste, Copa do Brasil e Série C do Campeonato Brasileiro.

Nesta sexta-feira (27), em entrevista ao programa Paraíba Verdade, da Rádio Arapuan de João Pessoa, o presidente botafoguense, Sérgio Meira, deu alguns detalhes sobre a movimentação atual para completar o grupo de jogadores.

Primeiramente, para o gol, o Belo ainda aguarda a situação do goleiro Saulo. Com proposta em mãos para renovar, o arqueiro analisa sondagens de clubes que disputam a Série B do Campeonato Brasileiro, e a direção não tem pressa para fechar o acordo. Inclusive, foi proposto um prorrogamento do vínculo para, em seguida, ele ser cedido por empréstimo e disputar a segunda divisão nacional.

Na busca por peças para assumir os lugares de Clayton e Marcos Aurélio, que não ficam no clube – o primeiro foi vendido ao São Caetano-SP, e o segundo não teve acerto para permanecer -, os altos salários vem impedindo uma solução rápida para a situação, e dois nomes conhecidos já foram consultados.

O primeiro deles foi do meio-campista Michel Bastos, de 36 anos, que disputou a Copa de 2010 pela Seleção Brasileira como lateral-esquerdo, e que recentemente defendeu São Paulo, Sport e América-MG, seu último clube, pelo qual disputou apenas uma partida.

Michel Bastos foi titular na Copa de 2010 pela Seleção Brasileira. Foto: AFP

Outra opção buscada foi o meia paraibano Renato Cajá, que marcou três gols na partida que garantiu o acesso do Juventude na Série C. Porém, além dos altos vencimentos, o empréstimo do atleta para a Ponte Preta acabaram dando por encerradas as negociações.

Renato Cajá chegou a ser oferecido ao Belo, que não se interessou pelo atleta. Foto: Divulgação

Detalhe na situação de Renato Cajá é que, no início deste ano, ele foi oferecido ao próprio Botafogo-PB. Natural de Cajazeiras e sem clube na época, o atleta de 35 anos não contou com o interesse da diretoria e da comissão técnica, que descartaram a oferta de um contrato.

Equipe @Vozdatorcida