Botafogo-PB vai na contramão de outros clubes e, em período de crise econômica, aumenta valores para torcedores

Foto: Iaco Lopes/ Voz da Torcida

Na última segunda-feira (09), o Botafogo-PB lançou sua linha de uniformes para temporada de 2020 na praça de alimentação de um shopping de João Pessoa, e alguns pontos chamaram atenção negativamente e acabaram gerando críticas dos torcedores nas redes sociais.

Em um país onde mais de 60% dos trabalhadores formais e informais têm renda menor que um salário mínimo, que em 2020 vai ser de R$ 1.031,00 (aumento de 3,5% com relação aos 998 reais de 2019), o clube da Maravilha do Contorno, que vai para sua sétima participação consecutiva na Série C do Campeonato Brasileiro, resolveu subir o valor do seu plano de sócio-torcedor em 25% (R$ 50,00, contra R$ 40,00, valores de 2020 e 2019, respectivamente, para torcedores que ficam na arquibancada sombra).

Em um momento da economia que lembra um dos inúmeros dolorosos momentos da ditadura militar, com o preço da carne aumentando até 50% nos açougues, e o litro da gasolina custando por volta  R$ 4,30, lembrando a hiper-inflação do fim da década de 80, durante o governo Sarney, a direção botafoguense, formada por apaixonados torcedores, a maioria com situação financeira tranquila, parece se deslocar um pouco da realidade.

Pegando exemplos de sucesso, não se pode fugir do Vasco da Gama, que utilizou a Black Friday para realizar uma adesão em massa de torcedores. Com preços a partir de R$ 5 reais (plano Camisas Negras) o cruzmaltino subiu de 30 mil para mais de 180 mil associados em pouco mais de dez dias. O período mínimo para contribuição era de seis meses, o que, em contas básicas do plano mais básico somado com o número de novos sócios pelo período mais curto de adesão renderam ao menos R$ 4.500.000,00 (quatro milhões e quinhentos e dez mil reais) para os cofres do clube.

Com a direção amadora, o Botafogo-PB ainda parece enxergar o torcedor apaixonado como um tipo de financiador, uma vez que o maior benefício real para o sócio é o ingresso para os jogos. Após o término do Paraibano, o clube joga, em média, apenas duas vezes por mês no Almeidão, o que dá pouca vantagem para quem deseja aderir ao programa.

Além da atualização do programa de sócios, outra novidade foi o lançamento da marca própria de uniformes. Mas quem esperava comprar produtos oficiais com preços mais acessíveis, o valor da camisa subiu de R$ 160,00 (modelo de 2019, fabricado pela Karilu) para R$ 200,00 (fabricação da marca Belo 1931). No primeiro momento, não foi informado sobre a produção de camisas com preços mais populares para a torcida, como fizeram Fortaleza e Bahia, por exemplo, que também possuem marcas próprias.

Outro ponto visto com pouca atenção pelos responsáveis pelo Botafogo-PB diz respeito a questão racial.

Em um país que mais de 54% da população é formada por negros, no panfleto oficial do programa de adesão para torcedores não contava com nenhum negro, o que foi visto de forma negativa nas redes sociais.

Foto: Divulgação

Por outro lado, um dos pontos positivos foi o lançamento de uniformes e planos de sócios especiais para as torcedoras já neste primeiro momento.

Élison Silva
Editor do portal e comentarista da Rádio VT

Equipe @Vozdatorcida