Após críticas, administrador explica estado ruim do gramado do Amigão

O gramado do estádio passaria por uma reforma no fim do ano passado. Como não ficaria pronto a tempo, a Raposa solicitou o adiamento da obra

Foto: Phillipy Costa/ Paraibaonline

Além da vitória com folga do Campinense por 3 a 0 sobre a Desportiva Guarabira, o assunto abordado com os rubro-negros após a partida foi o péssimo estado do gramado do estádio Amigão.

Visivelmente cheio de falhas e cheio de areia, a bola tinha dificuldade para rolar e, quando conseguia, ia quicando em cada buraco do piso.

O treinador da Raposa, Celso Teixeira, fez críticas ao gramado e garantiu que isso atrapalhou o desempenho de seus comandados.

– Jogar em um campo desse é uma coisa absurda. Você teve o tempo necessário para consertar alguma coisa. Na cidade tem dois times grandes, grandes torcidas, e ser prejudicado jogando em um campo desse. Nosso time toca muita bola, troca muito passe, mas por isso não conseguimos imprimir o ritmo que tínhamos nos amistosos. (…) Você entra no campo e dá dó, é perigoso até para o jogador. A gente se prepara a semana toda pensando que vai jogar em um campo com boas condições. Isso é um desrespeito – lamentou.

Por sua vez, procurado pelo Voz da Torcida, o administrador do estádio, Ascânio Paceli, explicou a situação em que se encontra o gramado.

Estava programada uma reforma completa para o fim de 2017. Porém, com o atraso no início das obras, a praça esportiva ficaria inviabilizada para a disputa do Campeonato Paraibano, já que o prazo para conclusão era de quatro meses, e em novembro as intervenções ainda não haviam começado.

O Campinense Clube solicitou ao governo do estado o adiamento da reforma, o que foi acatado. Desde então, Ascânio disse que fez o que estava a seu alcance, que foi a colocação de areia nos buracos.

Apenas no último fim de semana, pouco antes da estreia da Raposa na competição, chegaram ao estádio os produtos necessários para o tratamento mais adequado do gramado, como adubo. O processo de aplicação, entretanto, precisou ser adiado para a próxima semana, já que Campinense e Serrano vão atuar mais duas vezes até domingo (14).

A expectativa é que aos poucos a qualidade do piso vá melhorando, até chegar no nível que estava em 2017, segundo Ascânio.

Mas o tempo para recuperação não será muito longo. Já no sábado (13), o Serrano pisa o gramado do Amigão para enfrentar o Sousa, pela segunda rodada do Paraibano. No outro dia, a Raposa volta ao estádio para receber o Atlético de Cajazeiras.

Equipe @Vozdatorcida