Clubes e FPF se posicionam sobre paralisação ou portões fechados

Foto: Divulgação/ FPF

Nesta segunda-feira (16) a presidente da Federação Paraibana de Futebol, Michelle Ramalho, se reunirá na CBF com outros presidentes de federações para ser tomada uma decisão sobre a paralisação ou não dos campeonatos após a própria entidade maior do esporte no país suspender suas competições no domingo (15). Na quinta (19), os clubes e FPF se reúnem para decidir o que fazer com o Paraibano.

Alguns estados já decidiram o que fazer com seus torneios domésticos. Em Alagoas, com 1 caso confirmado, seguirá com seu campeonato e com portões abertos. Minas Gerais (2 casos confirmados), Rio Grande do Sul (6 casos confirmados), Rio de Janeiro (25 casos confirmados) e São Paulo (136 casos confirmados), resolveram suspender as competições.

Na Paraíba, o Ministério Público, após o comunicado da Confederação Brasileira de Futebol, recomendou que o Campeonato Paraibano fosse suspenso ou que as partidas sejam realizadas com portões fechados para evitar aglomeração de pessoas, um dos meios de prevenção para a disseminação da pandemia do coronavirus.

Enquanto não há decisão oficial, alguns clubes começam a se manifestar. Ao repórter Bruno Rafael, da CBN Campina Grande, Walter Júnior, presidente do Treze, foi o primeiro a opinar.

Para o dirigente do Galo, por não haver nenhum caso de contaminação com o Covid-19 confirmado no estado, o torneio deveria seguir sem restrições. Entretanto, entre fechar os portões ou parar o campeonato, ele prefere a paralisação da competição para não deixar de arrecadar com a bilheteria dos jogos.

Sérgio Meira, mandatário do Botafogo-PB, tem opinião um pouco divergente. Para ele, deve-se manter tanto o Paraibano quanto a Copa do Nordeste com portões fechados ao menos até o fim da primeira fase. O estadual tem a última rodada da fase de grupos marcada para 1 de abril, enquanto o torneio regional encerra sua primeira fase no próximo sábado (21). A tese é a mesma defendida pela presidente da FPF, Michelle Ramalho, que, em entrevista ao GloboEsporte.com, ainda disse que após o encerramento da primeira parte do estadual, o certame ficaria congelado e durante o hiato sem jogos se discutiria uma solução para a sequência.

A partida entre Botafogo-PB x Sousa, marcada para quarta (18), será realizada com portões fechados, obedecendo decreto da Prefeitura Municipal de João Pessoa que suspende a realização de eventos públicos em locais fechados com mais de 250 pessoas.

Almeidão não terá público em Botafogo-PB x Sousa, na quarta-feira (18), conforme recomendação da Prefeitura de João Pessoa. Foto: Élison Silva/ Voz da Torcida

No Nacional de Patos, a questão financeira fala mais alto e o clube prefere que o estadual siga normalmente, pois sem a realização dos jogos não há como arrecadar e pagar os jogadores.

O São Paulo Crystal vai na mesma linha de raciocínio do Botafogo-PB e quer a disputa do Paraibano sem a presença de público até o fim da fase de grupos.

Para Aldeone Abrantes, presidente do Sousa, a questão é mais complexa. O dirigente não aceita portões fechados para a sequência do Campeonato pois sem arrecadação não há como honrar os compromissos financeiros do clube, assim como pensa o Nacional de Patos. Entretanto, o dirgente afirma que uma paralisação pode ser viável desde que FPF ou CBF contribuam com os gastos das equipes durante o tempo sem partidas.

Equipe @Vozdatorcida