Coluna: A fartura sertaneja – Élison Silva

Costuma-se dizer que o povo sertanejo é forte, aguerrido, lutador.

O que estamos vendo até o momento no Campeonato Paraibano 2012 é exatamente isso. Sem tanta mídia, e investimentos bastante modestos, os times do sertão da Paraíba (exceto o Esporte de Patos, que é candidatíssimo a deixar o Cariri no primeiro pau-de-arara) estão sendo gratas surpresas. Paraíba e Sousa são líderes com 24 pontos, e o Nacional é quinto colocado com 20, estando a apenas um ponto do G4 da competição.

O Sousa talvez seja a maior surpresa de todas. As vésperas da competição ser iniciada, o seu presidente Aldeone Abrantes, mais uma vez, gritava aos quatro ventos que o time da cidade Sorriso não tinha dinheiro e ameaçou até não disputar a competição. Mas o que vemos é desde o início do certame o Dinossauro abocanhando seus adversários, destacando-se a campanha invicta contra os “três grandes”, sempre fora de casa, venceu o Campinense e empatou com Treze e Botafogo. Muito dessa boa campanha, inclusive, é mérito de Neto Maradona, que trocou o Sousa pelo Belo.

Já a equipe da terra do Padre Rolim vem mantendo a tradição do seu antecessor, o Atlético de Cajazeiras. Líder da competição, apesar de inesperado, por ser recém-promovido à divisão principal do futebol paraibano, não pode ser de total surpresa. Pedrinho Albuquerque é um treinador experiente, acostumado com a competição, e o Paraíba também ter a vantagem de ter um investidor de peso, que garante a tranquilidade financeira do elenco.

Já o Canário do Sertão começou o campeonato totalmente desacreditado, principalmente depois da goleada sofrida para o Sousa na primeira rodada, no José Cavalcanti. Se ouvia por aí que o time iria brigar por uma vaga na Série B do Paraibano no ano que vem. Porém o time foi se reforçando e engrenou durante a competição. Venceu o Botafogo-PB fora de casa e o Campinense em Patos, além do empate diante do Galo da Borborema. Contra o trio de maior investimentto, perdeu apenas para a Raposa na segunda rodada do campeonato, em Campina Grande.

Por fim, vale lembrar que juntando Paraíba, Sousa e Nacional, só há duas derrotas dentro de seus domínios, que foi do Canário para o próprio Dinossauro, como lembrado anteriormente e também para o Paraíba. É importante demais para o campeonato, e para o futebol paraibano em si, essa excelente campanha dos times do interior. Como cantava Luíz Gonzaga (letra de J. Guimarães), “a vida aqui só é ruim quando não chove no chão”. E dos clubes sertanejos, só não está chovendo na roça do Esporte. Entre os demais, a semente foi plantada e os frutos já estão sendo colhidos.

Equipe @Vozdatorcida

7 Comentário

  1. O Tezto tá bom, mas vc faz questão de alfinetar Aldeone ein, e merecer ao neto maradona, pelo amor de Deus, neto tava pra ser expulso aqui pela torcida, treinadorzinho de quinta….

Faça um comentário