Coluna: Tragédia Anunciada – Élison Silva

O Flamengo-PB foi o primeiro Clube rebaixado do Campeonato Paraibano 2012. Uma pena e um alívio ao mesmo tempo.

Pena pois os jogadores que entraram em campo foram verdadeiros guerreiros, sempre venderam caro as derrotas, brigaram sempre enquanto tinham fôlego, e ainda tinham uma das revelações do campeonato, que é o atacante Charlinho. Não faltou luta, mas são fracos tecnicamente. Foi um time que surgiu com promessa de administração diferente, até mostrou isso na série B do Paraibano, quando foi vice-campeão e conseguiu o acesso à elite do futebol estadual. Apresentou-se para a temporada com pompas, com direito a café da manhã no Hotel Tambaú, com Márcio Braga, ex-presidente que fez o Flamengo carioca supercampeão na década de 80 sendo o padrinho do time, e com presença até então confirmada para a estréia do xará rubro-negro no estadual.

E um alívio pois as promessas não foram cumpridas. Falta de planejamento, falta de estrutura, salários atrasados, falta de condições aos atletas e comissão técnica. Um time de João Pessoa que treinava hora em Sapé, hora em Santa Rita, hora na própria capital. Um clube que abrigava vários atletas em um casa com apenas um banheiro, alimentando-os com marmitas e colocando-os para dormir em colchonetes. Viajando para jogo horas antes e alimentando os jogadores com pastel e caldo de cana. Ao fim do primeiro mês da competição, o destino do Flamengo-PB já estava traçado.

Nada contra o clube Flamengo Paraibano, mas que esses dirigentes abandonem o futebol, deixem para quem tem vontade e habilidade para isso. Para comandar um clube não bastam promessas. Tem de se haver planejamento, competencia, e principalmente responsabilidade para se honrar os compromissos. Não adianta dizer uma coisa e fazer outra, pois no final o preço será cobrado. O futuro do clube fica em aberto. Mas acho que é um caminho sem volta. Até breve, Flamengo. Ou não.

Equipe @Vozdatorcida

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário