Com 93% dos votos, William Simões é reeleito presidente do Campinense

Foto: Divulgação/ Campinense Clube

O empresário José William Simões Nilo, de 53 anos, foi reeleito pela terceira vez como presidente do Campinense Clube neste domingo (03).

O pleito, conturbado e judicializado, acabou contando apenas com a chapa da situação.

A oposição, encabeçada pelo empresário Carlos Gonzaga, promete recorrer até as últimas instâncias para anular o processo eleitoral encerrado neste final de semana.

Ao todo, 133 sócios, entre remidos e patrimoniais, compareceram ao Estádio Renatão para participar do pleito.

William Simões obteve 124 votos, o que representa 93% dos sufrágios válidos. Três sócios votaram branco e seis nulo.

– A responsabilidade só faz aumentar. Fico feliz com o comparecimento dos sócios, principalmente dos remidos, como o ex-presidente Maurício Almeida, que há muito não participava das eleições e hoje fez questão de nos prestigiar. Agora é continuar trabalhando firme para tornar o Campinense um clube ainda maior – declarou o dirigente após a divulgação do resultado.

A diretoria, que com a recente mudança estatutária, precisa de apenas cinco nomes para a composição de registro de candidatura, conta com Félix Brás, o Felinho, como vice-presidente, Neilton Neves na Diretoria de Futebol, Raul Timóteo como diretor financeiro, e José Antônio Trajano Vasconcelos na Diretoria de Patrimônio.

As demais pastas, como Futebol Amador, Comunicação e Marketing, Social, dentre outras, serão nomeadas pelo presidente reeleito neste domingo.

Histórico

William Simões atua como dirigente da Raposa desde 2004, quando foi diretor Financeiro na gestão do empresário Carlos Lira.

Entre idas e vindas, assumiu a presidência do clube em 2011 para um mandato tampão após a renúncia de Rômulo Leal no final de 2010.

Em dezembro de 2011 Simões foi eleito para seu primeiro mandato completo (2012-2013), e reeleito em 2013, 2015 e esse ano. O mandato atual vai até dezembro de 2019.

Como presidente, William conquistou os campeonatos estaduais de 2012, 2015 e 2016, o ano do centenário do clube, além da Copa do Nordeste de 2013, considerado por muitos o maior título das história rubro-negra. No ano passado o dirigente conduziu a Raposa em mais uma histórica campanha no torneio regional, perdendo na final para o Santa Cruz.

Como lado negativo das seguidas gestões, Simões carrega o rebaixamento da Série C para a Série D em 2011, seu primeiro ano como presidente do clube, e os insucessos de 2012, 2014, 2015, 2016 e 2017, anos em que o time não conseguiu sair da última divisão nacional.

Equipe @Vozdatorcida