Com duas chapas, eleições do Campinense tem oposição “jogando pelo empate”

Foto: Portal Correio

Marcada para o primeiro domingo (03) de dezembro, a eleição para escolha da nova diretoria do Campinense Clube (biênio 2018-2019) vai contar com duas candidaturas após muitos anos. E com base no estatuto da agremiação rubro-negra, pode-se afirmar que a oposição “joga pelo empate”.

É que a disputa coloca frente à frente os empresários William Simões, de 54 anos, atual presidente da Raposa, e Carlos Gonzaga, 56.

Ambos registraram suas candidaturas nesta quinta-feira (09), último dia do prazo para inscrição das chapas.

Mais velho, caso a votação acabe empatada, o oposicionista levará vantagem por conta da idade.

Ano passado, no pleito extraordinário realizado no rival Treze, a igualdade na contagem dos sufrágios levou Petrônio Gadelha a vencer Olavo Rodrigues justamente com base nesse critério estabelecido pelo estatuto.

Presidente desde o início de 2011, quando assumiu um mandato tampão após a renúncia de Rômulo Leal no final de 2010, o empresário William Simões vai tentar seu quarto mandato completo consecutivo e sua terceira reeleição.

Dessa vez o atual mandatário rubro-negro vai ter concorrência, já que o também empresário Carlos Gonzaga conseguiu através de uma liminar da Justiça o direito de se candidatar, mesmo não sendo sócio regular do clube, conforme atesta o Conselho Deliberativo raposeiro.

O pleito pode até acontecer novamente com chapa única, no caso apenas com o registro da candidatura situacionista.

Isso porque os conselheiros do clube devem recorrer ao Poder Judiciário para cassar a liminar obtida pela oposição.

As chapas

Diferente das eleições anteriores, no pleito do próximo dia 3 de dezembro as candidaturas registram a participação de cinco nomes, metade do que exigia o antigo estatuto nas disputas passadas.

O atual presidente William Simões praticamente manteve a formação da sua diretoria. Batizada “A Força do Trabalho”, a chapa terá como candidato a vice o atual vice-presidente Félix Braz, o Felinho.

Raul Timóteo e Neilton Neves, atuais diretores Financeiro e de Futebol, respectivamente, permanecem postulando a reeleição aos seus cargos com William.

A única novidade na candidatura situacionista é a presença de José Antônio Trajano, presidente do Conselho Deliberativo, como candidato à Diretoria de Patrimônio.

Já a chapa “Um Novo Tempo”, da oposição, encabeçada por Carlos Gonzaga, tem o ex-conselheiro Erivaldo Ferreira como candidato a vice.

O grupo é composto por José Roberto Rodrigues, mais conhecido como Chicó (Diretoria Financeira), Paulo Gervanny  Lucena (Diretoria de Patrimônio) e conta também com a presença do ex-presidente Saulo Miná (Diretoria de Futebol).

Equipe @Vozdatorcida