Com os pés no chão, Zimmermann aprova estreia pelo Botafogo-PB

Foto: Reprodução / Botafogo-PB

O treinador Rogério Zimmermann finalmente estreou pelo Botafogo-PB nessa segunda-feira (17), na partida contra o Manaus, no estádio Almeidão, válida pela segunda rodada da Série C.

Dentro de campo, o jogo foi bastante morno e terminou em 0 a 0. Mesmo assim, o novo comandante do Belo aprovou a sua primeira oportunidade à beira do gramado na Paraíba.

O resultado não foi positivo e não diminuiu a crise institucional que vive o clube da estrela vermelha. Todavia, Rogério Zimmermann afirmou que sua equipe atuou conforme o programado, de maneira organizada e com uma pequena evolução em relação aos últimos confrontos.

— Eu não esperava muito, criei uma expectativa média. Não só porque eu cheguei há pouco tempo, a equipe vem de dois resultados não bons. Isso abala um pouco a confiança. Nós tivemos bons momentos no jogo, mas assim que o Manaus tinha uma ou outra situação de gol, a gente se abatia. O que é absolutamente normal, está dentro do processo. Então é uma questão de treino, de tempo. Só não sei precisar quanto tempo, mas dentro do possível foi uma equipe organizada, evidentemente que nós queremos uma produção melhor. Mas aquilo eles podiam oferecer para esse jogo, foi feito. Não é nem o que o jogador quer, nem o que eu quero, nem o que o torcedor quer. Mas nós temos que entender que é um processo — disse.

Para o treinador botafoguense, o sistema defensivo foi o que melhor funcionou durante a partida. Apenas no final do jogo, com o cansaço, ele precisou ser um pouco mais agitado na beira do gramado para motivar seus jogadores e deixá-los mais concentrados.

— A parte defensiva, ela foi boa. Acho que nós temos que ter um pouquinho mais de tranquilidade quando a gente está no meio-campo do adversário. Nas vezes que a defesa adversária estava fora do lugar, deveríamos fazer uma transição mais rápida, e a gente parava. Muitas vezes nosso atacante tinha a vantagem da velocidade com relação ao zagueiro, mas ele parava ao invés de aproveitar essa corrida. Mas é absolutamente normal e esperado, a gente tem que ter calma. Eu procurei a maior parte do jogo ficar calmo mas, no final do jogo, tive que orientar mais, gritar mais, no sentido que existe um pouco de cansaço e o jogador perde um pouco a concentração, e você tem que falar um pouco mais alto. Mas estar gritando não significa que eu não estava contente, apenas para o jogador ficar atento no final, principalmente na parte defensiva — explicou.

Agora, Zimmermann e sua comissão técnica terão cerca de seis dias para preparar a sua equipe para o próximo desafio, diante do Santa Cruz, em casa, no domingo (23), às 18h, em duelo válido pela terceira rodada da Série C. Para o confronto, o técnico terá a sua disposição o zagueiro Fred, que não atuou hoje porque cumpria suspensão automática após ter sido expulso na primeira rodada.

Equipe @Vozdatorcida