Com confusão, reunião entre clubes e FPF termina sem decisão sobre o Paraibano

Representante do Inter-PB, que foi rebaixado no estadual, conseguiu uma liminar para participar da reunião. Clube quer a vaga do CSP, que tem problemas com a CBF

Foto: Divulgação/ FPF

Com polêmicas, várias divergências e a presença de um “intruso”, foi realizada na tarde desta quarta-feira (04), na sede da Federação Paraibana de Futebol, em João Pessoa, a primeira reunião entre dirigentes e a cúpula da entidade para discutir campeonato estadual da primeira divisão de 2018.

O encontro, que contou com representantes dos dez clubes garantidos no certame (Atlético-PB, Auto Esporte, Botafogo-PB, Campinense, CSP, Desportiva Guarabira, Nacional de Patos, Serrano, Sousa e Treze), além de um dirigente do rebaixado Internacional-PB, durou aproximadamente uma hora e meia e foi coordenado pelo presidente da entidade, Amadeu Rodrigues.

A única definição: que pelo menos outras duas reuniões devem ser agendadas ainda para o mês de outubro antes do Conselho Arbitral, marcado para a primeira semana de novembro.

Estranho no ninho

Representante do “intrometido” Inter-PB, Tassiano Gadelha chegou ao prédio da FPF portando uma liminar da Justiça Desportiva estadual garantindo seu direito de participar da reunião.

O mandatário do andarilho Colorado paraibano argumenta que o CSP está inapto junto a CBF por conta de um processo na Justiça Comum, e disse que vai requerer ao TJD-PB que sua agremiação herde a vaga do Tigre no Paraibano 2018 em face dessa suposta irregularidade.

Polêmicas

Uma das primeiras polêmicas surgidas na reunião foi em relação à data de início do certame.

Enquanto alguns dirigente preferem que a bola role já no dia 5 de janeiro, outros, a exemplo do presidente do Campinense, William Simões, que concorre a mais uma reeleição em dezembro, fizeram questão de que a FPF seguisse o calendário da CBF e só começasse o campeonato no dia 17.

Já no que diz respeito ao formato do certame, as discordâncias são em relação à manutenção da fórmula de 2017 (22 datas), como recomenda o Estatuto do Torcedor, ou ao encurtamento da disputa, adequando-se, então, ao calendário da CBF, que prevê 18 datas para os estaduais.

Equipe @Vozdatorcida