CSP se posiciona contra rebaixamento no Paraibano 2020

Foto: Iaco Lopes / Voz da Torcida

Um dos rebaixados no Campeonato Paraibano de 2020, ao lado do Sport Lagoa Seca, o CSP se posicionou contra o descenso no ano de 2020. Entretanto, o clube não pretende enviar um ofício à Federação Paraibana de Futebol (FPF) pedindo que o caso seja reconsiderado, como fez o Carneiro.

Em contato com o Voz da Torcida, o presidente e treinador do Tigre, Josivaldo Alves, afirmou que a volta do futebol na Paraíba aconteceu de maneira desigual, visto que os clubes que disputavam competições nacionais receberam apoio de mais de R$ 100 mil da CBF, enquanto as outras equipes só receberam R$ 10 mil da FPF, dinheiro originalmente entregue pela CBF à Federação.

Com isso, o CSP se posiciona ao lado do Sport Lagoa Seca, que enviou um documento à presidente da FPF, Michelle Ramalho, no último sábado (12), em que explicava que a decisão de rebaixar dois clubes sem a ascensão de nenhum outro iria contra o que diz a Lei Pelé, que rege a prática esportiva no Brasil.

Porém, o Tigre da capital paraibana não irá entregar nenhum ofício para a Federação. Josivaldo afirmou que tudo que precisava ser dito à presidente Michelle Ramalho foi mencionado pessoalmente nas reuniões entre os representantes das agremiações.

Josivaldo Alves, presidente do CSP (Foto: PB Esportes)

Segundo o mandatário do CSP, Michelle Ramalho, para não tomar a decisão sozinha, convocou o colegiado. Foi aí que começaram as discordâncias entre os dirigentes. Conforme Josivaldo, o presidente da Perilima, Jailton Oliveira, foi o primeiro a se colocar contra a manutenção dos dez clubes no Campeonato Paraibano de 2021.

O presidente do Tigre criticou a postura do empresário Jailton Oliveira, afirmando que essas atitudes ‘apenas empobrecem o nosso futebol’.

— A parte boa é que a Perilima tem uma base, a parte ruim é que seu dirigente pensa em eliminar quem ele entende como concorrente da base, ou do profissional, não sei qual é o pensamento. Mas Deus abençoe todas as pessoas, não pretendemos entrar com ação nenhuma — disse.

A outra agremiação a se colocar fortemente a favor da disputa do estadual com apenas oito times foi o Botafogo-PB. Todavia, Josivaldo afirmou que o Belo possui esse desejo há bastante tempo, visto que disputa várias competições no primeiro semestre.

Ainda sobre a reunião, o treinador e presidente do CSP elogiou o mandatário do Sousa, Aldeone Abrantes, que, apesar de diversas discordâncias com ele, se posicionou contra a diminuição de participantes na competição.

— Tivemos também dirigentes que já tive alguma divergência, mas temos que bater palma. O Aldeone falou ‘como é que a gente vai fazer a Paraíba com oito clubes? Para que diminuir tanto?’. Se não teve acesso, por que não mantém os dois clubes? — relatou.

Por fim, ele comentou que um dirigente do Nacional de Patos teria dito: “para que disputamos esse final se não for para rebaixar dois?”. Josivaldo afirmou que esse pensamento é mesquinho e não agrega em nada ao futebol paraibano.

O martelo final será batido nesta segunda-feira (14), quando a FPF e os representantes dos oitos clubes que estão confirmados no estadual de 2021 farão o arbitral do torneio, definindo o regulamento da competição.

Equipe @Vozdatorcida