Índio é demitido do Atlético-PB e aponta possível boicote de jogadores

Foto: Vitor Oliveira/ Voz da Torcida

Com investimento alto e apenas duas vitórias no Paraibano 2018, o Atlético de Cajazeiras começou o returno na zona de rebaixamento do Grupo B, o que acabou abreviando a passagem do técnico Índio Ferreira pelo Trovão Azul.

Ontem, após a derrota por 1 a 0 para o Nacional, em Patos, o treinador entregou o  cargo à diretoria, que já anunciou o novo comandante da equipe cajazeirense.

Trata-se do pernambucano Adelmo Soares, o qual já trabalhou no Atlético-PB. O novo técnico do Alviazulino já estreia na próxima quinta-feira (08), quando o time recebe o Campinense, às 20h30, no Perpetão, pela sétima rodada do estadual.

Em seu perfil numa rede social, já na madrugada desta segunda-feira (05), Índio Ferreira escreveu uma espécie de desabafo sobre sua passagem pelo Atlético de Cajazeiras.

– Em primeiro lugar quero agradecer a Deus pela oportunidade de ter trabalhado em mais um clube da Paraíba. Hoje o meu ciclo com o Atlético de Cajazeiras chega ao fim. Gostaria de agradecer à toda diretoria, atletas, comissão técnica, funcionários e em especial aos torcedores do Trovão Azul. Agradecer ao Nenê, gerente de futebol, que foi um dos responsáveis pela minha vinda ao clube. À toda imprensa pelo carinho e respeito que tiveram comigo durante esse período – iniciou sua postagem.

E complementou: “No futebol a vida do treinador é a mais cobrada e se não vêm os resultados a melhor maneira é a mudança de comando. Existem coisas que a gente tenta entender e nunca chegará a uma definição e foi o que aconteceu no nosso trabalho. Existem atletas que correspondem. Outros não… mas o bom da vida é você ser sempre honesto no que você faz, e eu tentei de todas as maneiras encontrar uma resposta para o mal momento que estamos passando. Espero e torço que o próximo profissional possa trazer um novo ânimo para alguns atletas, pois no futebol também existe rejeição e esse foi um dos problemas de alguns que não aceitaram a minha maneira e forma de trabalhar. O time é bom e tenho certeza que vai classificar, basta os atletas entenderem que nada pode tirar o brilho de serem vencedores. Obrigado a todos e principalmente a família Lira. Jesus abençoe a todos”.

Durante a semana, quando a direção do Trovão anunciou as dispensas do lateral direito Caio Felipe, do volante Luiz Gustavo e do meia Tchê Tchê, cogitou-se a possibilidade de parte do elenco está fazendo corpo mole, ou formando a popular “panelinha” contra Índio.

O Atlético de Cajazeiras ocupa a quarta colocação da chave, com seis pontos, dois a mai que a lanterna Desportiva Guarabira.

Equipe @Vozdatorcida