Declarações podem fazer técnico perder o cargo no São Paulo Crystal

Foto: Ana Flávia Nóbrega/ Voz da Torcida

Depois da primeira vitória no Campeonato Paraibano, marcando seu primeiro gol na elite do futebol do estado, esperavam-se dias de certa tranquilidade no São Paulo Crystal ao menos a volta do torneio, que só acontece para o time de Cruz do Espírito Santo após o carnaval.

Entretanto, não será bem assim.

É que as declarações de Índio Ferreira ao site Globoesporte.com/pb após o triunfo sobre o Sport Lagoa Seca por 1 a 0 repercutiram mal na direção, e duas reuniões podem decidir a permanência ou não do técnico no comando da equipe. A primeira, na segunda (17) durante a noite entre os dirigentes, e a segunda com a própria comissão técnica, na terça (18).

Na ocasião, o treinador ressaltou que a Águia do Engenho é um time pequeno, e que as cobranças feitas pela direção internamente vinham sendo muito pesadas. Para Índio, a vitória contra outro time do mesmo patamar serviria como resposta, e deixava os dirigentes tranquilos para decidirem por sua demissão.

O diretor jurídico do clube do brejo, Eduardo Araújo, repercutiu o desabafo do técnico com o Voz da Torcida.

– As coisas em nosso clube são feitas de maneira sempre muito franca e olhando nos olhos. Assim fazemos porque todos os funcionários, inclusive eu, que também sou funcionário, temos toda a estrutura e atenção do presidente e do vice para qualquer assunto. É um ambiente maravilhoso e muito aberto de se trabalhar. Então, vamos conversar com Índio amanhã (18) para entender sobre o que ele estava falando, porque de minha parte, do presidente e do vice, foi só apoio e a confiança de que passaríamos as dificuldades naturais do começo da competição, até porque a comissão trabalha no São Paulo Crystal desde a Segunda Divisão, e comigo pessoalmente desde 2016 no Internacional, e os atletas foram escolhidos a dedo indicados ou aprovados por Índio – explicou.

Mesmo com o planejamento de manter o treinador até o fim da competição, o dirigente admite que, após a entrevista, a situação no clube passou a ser diferente, pois os dirigentes não entenderam bem os motivos para o desabafo. De acordo com Eduardo Araújo, mesmo com a meta de pontuação após as cinco primeiros partidas não terem sido cumpridas, não havia intenção na troca de comando.

– Não vou negar para você que as coisas mudaram de situação. Vamos ter uma conversa com ele. Não se cogitava a demissão em momento algum, não pensou nisso. Iria haver uma reunião para decidir como podemos melhorar, se precisava de contratação. Agora, confesso que vamos discutir a questão de Índio. A gente não entendeu. Olhamos um para a cara do outro e perguntamos o que aconteceu, e ninguém soube responder – disse.

Equipe @Vozdatorcida