Em conversas vazadas, Breno Morais mostra influencia no Botafogo-PB e presidente ameaça renunciar

Foto: Divulgação

Fake news, separações de casais, golpes financeiros, pornografia de todas as ordens, assassinato de reputações, campanhas diversas, correntes de orações, pedidos de ajuda.

Nos últimos anos o aplicativo de troca de mensagens WhatsApp parece mesmo ter se tornado um disseminador de informações incontrolável. Para o mal ou para o bem, o dispositivo é uma bomba-relógio.

Durante a semana, mais precisamente na noite da última quinta-feira (19), foi a vez de parte das vísceras do Botafogo-PB, atual tricampeão paraibano, serem expostas na referida rede social.

É que o presidente Sérgio Meira, do Belo, e o ex-vice presidente de futebol do clube, Breno Morais, trocaram farpas e expuseram a crise política que afeta a agremiação a um mês do início da temporada 2020.

O episódio, registre-se, foi mais um que comprovou o quanto Breno ainda influencia a gestão do Bota-PB, mesmo estando banido do futebol por decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), em virtude das consequências da Operação Cartola em 2018.

Em um dos trechos da discussão, Morais acusou o atual mandatário botafoguense de utilizar o dinheiro do clube para pagar jornalistas. Em meio ao bate-boca, Sérgio Meira ameaçou renunciar ao cargo.

Segundo relato dos jornalistas Cisco Nobre e Pedro Alves, da Rede Paraíba de Comunicação, tudo começou quando os dois dirigentes foram adicionados ao grupo de alguns sócios do Botafogo-PB. A veracidade dos prints das conversas que vazaram foi checada pelos repórteres.

Ao ingressar no bate-papo, Sérgio Meira garantiu que responderia o que fosse questionado.

Na sequência, Breno Morais esclareceu que foi expulso de um grupo de conselheiros do Belo, e por isso se sentiu livre para questionar e denunciar as práticas utilizadas pela atual diretoria do clube.

O ex-chefão do Bota-PB, inclusive, deixou claro que se tornou oposição por ter sido traído. Vale ressaltar que Breno Morais fez parte desse grupo político.

Aliás, a antiga cúpula botafoguense, liderada pelo ex-presidente Zezinho Botafogo, o ex-vice Guilherme Novinho e o próprio Breno, deixou o clube por ordem judicial, em virtude dos desdobramentos da Operação Cartola, deflagrada em 2018, que investigou esquemas de corrupção no futebol paraibano.

Na sequência da conversa, o ex-manda-chuva acusou Meira de ter gastado todo o dinheiro que o clube possuía em caixa. Sem citar nomes, Breno garantiu que parte da verba foi utilizada para pagar jornalistas.

Imagem: Divulgação / WhatsApp

Após a acusação, Sérgio Meira confirmou que alguns radialistas são pagos pelo Botafogo-PB. No entanto, disse que a remuneração foi feita por serviços prestados.

Posteriormente, o presidente do Belo disse que aceitou se lançar como candidato ao cargo de mandatário na eleição do ano passado pelas circunstâncias, deixando claro que não tem como colocar o próprio dinheiro para investir no clube.

Foto de atual elenco com antiga cúpula apimenta os bastidores

Passado o primeiro tumulto no aplicativo de mensagens, uma fotografia rendeu mais polêmica.

Foto: Divulgação / WhatsApp

Na imagem, o atual elenco botafoguense aparece posando com os antigos dirigentes, Breno Morais, Guilherme Novinho, Zezinho Botafogo e Alexandre Cavalcanti, que representava o Jurídico do clube, foi citado nos desdobramentos da Operação Cartola, mas acabou absolvido pelo STJD.

Sérgio Meira publicou a imagem e, mostrando indignação, acusou a antiga diretoria de estar agindo nos bastidores para comprometer a atual gestão botafoguense.

Depois disso, foi a vez de Nelson Lira, também ex-presidente do Botafogo-PB, aparecer na conversa. O dirigente pediu calma aos torcedores e também aos dois dirigentes.

Porém, Breno Morais também atacou Nelson, acusou o antigo presidente de surfar na onda do sucesso do clube em 2013, ano de retomada do Botafogo-PB à maré de sucesso, e também de somente aparecer no clube em ano de eleições do Legislativo.

A confusão persistiu. Sérgio Meira voltou para a conversa e disse que os jogadores do Botafogo-PB estão fechados com Breno Morais. E que, por isso, estaria abrindo mão do seu cargo de presidente. Breno reagiu, disse que não possui um centavo de qualquer atleta do Botafogo-PB.

O tumulto foi encerrado no aplicativo de bate-papo, deixando pontas soltas e o futuro do futebol do Botafogo-PB com um ponto de interrogação.

Tudo isso com temporada 2020 prestes a começar.

Já na sexta-feira (20), os jornalistas do GloboEsporte.com tentaram entrar em contato com Sérgio Meira para confirmar se ele renunciaria mesmo ao cargo, mas não obteve sucesso na tentativa de falar com o dirigente, que saiu de todos os grupos de Whatsapp, seja de torcedores ou dirigentes do Botafogo-PB, para se preservar neste momento.

Dentro de campo, o Belo enfrenta o Assu-RN, neste domingo (22), às 15h, no CT da Maravilha do Contorno.

Equipe @Vozdatorcida