Sala da presidência da FPF é arrombada e vice tenta assumir na marra

Enquanto não é chegada a uma solução, todas as competições de responsabilidade da FPF, como o Paraibano sub-19, ficam suspensas

Um chaveiro foi chamado para abrir a sala da presidência da FPF na tarde desta quinta-feira/ Foto: Edgley Lemos/ Voz da Torcida

Uma confusão tomou conta da sede da Federação Paraibana de Futebol no fim da tarde desta quinta-feira (01).

Com o presidente da entidade, Amadeu Rodrigues, chefiando a delegação da Seleção Brasileira sub-20 no Torneio de Toulon, na França, o vice Nosman Barreiro, que não tem boa relação com o principal mandatário, se viu no direito de assumir a FPF.

Ao chegar no local, o diretor jurídico Marcos Souto Maior Filho disse que Nosman não possuia legitimidade, pois Amadeu havia deixado uma procuração para que o próprio Marcos ficasse responsável pela Federação durante sua ausência.

Com o impasse, o vice-presidente chamou um chaveiro para abrir a sala da presidência, e rapidamente elaborou uma ata de posse, assinada pela Liga Desportiva de Itaporanga, América Futebol Clube, Santa Cruz, Cruzeiro de Itaporanga, Liga de Santa Rita e o próprio Nosman.

Nosman Barreiro se auto empossou como presidente da FPF na ausência de Amadeu Rodrigues/ Foto: Edgley Lemos/ Voz da Torcida

Após conseguir abrir a sala, Nosman fez um pronunciamento em que disse que todo mundo que possuía cargo comissionado na FPF estava sendo destituído.

Pouco depois, Marcos Souto Maior apareceu com a procuração deixada por Amadeu Rodrigues lhe dando poderes de presidente, e que esta situação é embasada pelo artigo 40 do estatuto da entidade.

Marcos Souto Maior apresentou a procuração deixada por Amadeu Rodrigues/ Foto: Edgley Lemos/ Voz da Torcida

Outro personagem que surgiu para deixar a situação mais delicada foi Hilton Souto Maior, que ocupa a diretoria jurídica provisoramente, e que informou que Walter Feldman, Secretário Geral da CBF, havia lhe garantido que a Federação Paraibana de Futebol sofreria uma intervenção até que o presidente retornasse da Europa.

Ao fim de todo tumulto, Hilton foi com Nosman para o Ministério Público para que cada um apresente seus documentos e seja tomada uma decisão, e Marcos Souto Maior se dirigiu até a Central de Polícia para fazer um Boletim de Ocorrência, alegando dano ao patrimônio da entidade.

Já no início da noite, Amadeu Rodrigues, ainda na França, se manifestou no grupo de WhatsApp da Federação Paraibana de Futebol. O presidente lamentou o ocorrido, disse que irá acionar Nosman juridicamente pelos danos, e também adiantou que já está retornando para a Paraíba com o intuito de resolver toda essa situação.

Equipe @Vozdatorcida