Léo Moura ficará fora dos gramados por mais duas a quatro semanas

Foto: Josemar Gonçalves/ Botafogo-PB

Sem jogar desde antes da paralisação do futebol, por conta da pandemia do novo coronavírus, o lateral-direito Léo Moura, do Botafogo-PB, deve ficar de fora dos gramadas por mais duas a quatro semanas, no mínimo. A lombalgia, que tem deixado o veterano de fora das partidas, parece ter se agravado e ele precisará de mais tempo para se recuperar.

Conforme o neurocirurgião Alécio Barcelos, especialista em cirurgia da coluna, o jogador começou a sentir dores na região há cerca de um mês e, desde então, tem feitos exames para identificar a real gravidade do problema. Por enquanto, o neurocirurgião acredita que não é caso para cirurgia, precisando apenas um tratamento conversador com medição e fisioterapia.

— O jogador Léo Moura esteve recentemente em avaliação comigo e ele me relatou que há 30 dias começou a sofrer uma dor lombar, que tava piorando com alguns esforços e nós avaliamos, foi feita uma ressonância magnética, e foi detectada uma alteração na coluna lombar. Não é um caso, em princípio, para pensar em cirurgia. É um caso mais de tratamento conversador com medicamentos e alguns exercícios de fortalecimento e fisioterapia. A questão de treinamento com impacto ou um reforço mais intenso, a gente tem que aguardar pelo menos duas a quatro semanas e vamos manter o acompanhamento contínuo nessa reabilitação dele — informou.

Contratado a peso de ouro, Léo Moura chegou ao Belo no fim de janeiro, cercado de expectativas. Fora das quatro linhas, o marketing atraído pelo atleta ajudou o alvinegro a bater a meta de 4 mil sócios, e tem sido bem sucedido. O problema, no entanto, tem sido dentro de campo, onde o camisa 88 pouco tem feito.

Desde que chegou ao clube paraibano, o lateral-direito disputou apenas sete jogos, não marcou gol e deu apenas uma assistência. Ele disputou menos de 50% das partidas do Botafogo-PB desde que foi contratado. Atualmente, o defensor está com 41 anos.

Equipe @Vozdatorcida