Oposição do Campinense troca de candidatos e aguarda homologação na Justiça

Foto: Divulgação

Em entrevista coletiva concedida na tarde desta terça-feira (21), os integrantes da chapa “Um Novo Tempo”, que representam a oposição nas eleições do Campinense Clube, anunciaram a substituição de dois dos cinco membros do grupo que quer concorre à Diretoria Executiva da Raposa no pleito do dia 3 de dezembro.

Após a decisão reformada da juíza Audrey Kramy Araruna Gonçalves, titular da 4ª Vara Cível de Campina Grande, impedindo o empresário Carlos Gonzaga de disputar a eleição rubro-negra por falta de conformidade com as normas previstas no estatuto da agremiação, os oposicionista decidiram alçar o então candidato a  vice-presidente à cabeça da chapa.

Sendo assim, o engenheiro Erivaldo Ferreira agora é o postulante da oposição à presidência raposeira.

A Comissão Eleitoral, que havia anunciado na segunda-feira a homologação apenas da chapa “A Força do Trabalho”, encabeçada pelo atual presidente William Simões, ainda não se manifestou em relação ao que pleiteiam os membros do grupo “Um Novo Tempo”.

Além da cabeça de chapa, os oposicionistas decidiram trocar o nome indicado para a Diretoria Financeira. Marcelo Torres Galvão substitui José Roberto Rodrigues, mais conhecido como Chicó.

O nome do novo candidato a vice-presidente deverá ser definido em uma reunião marcada para a tarde desta quarta-feira.

De acordo com a assessoria de imprensa da oposição, o empresário Carlos Gonzaga decidiu desistir para “evitar o desgaste e não procurar mais a Justiça, temendo que a eleição seja adiada, prejudicando assim o começo da pré-temporada do Campinense”.

Novo cabeça de chapa

O engenheiro Erivaldo Ferreira atuou nos anos 1970 nos Conselhos Fiscal e Deliberativo do clube. Ele afirma ter uma vasta experiência no Departamento Amador, pauta que vem a ser umas das principais bandeiras de sua campanha.

Seu maior desafio caso se torne mandatário da Raposa, no entanto, “é levar o time à Série C”.

Equipe @Vozdatorcida