Josivaldo cobra ajuda financeira: “Dinheiro da CBF é oriundo dos clubes”

Foto: Vitor Oliveira/ Voz da Torcida

A pandemia da Covid-19 afetou definitivamente a vida de os setores da sociedade pelo mundo todo, e com o futebol não foi diferente. A propagação do vírus e sua letalidade obrigou a paralisação de todos os campeonatos no planeta, e aqui no Brasil, levando os clubes, principalmente os pequenos, a conviver com um dilema econômico para conseguir honrar seus compromissos com os atletas.

Em entrevista ao site PB Esportes, o presidente do CSP, Josivaldo Alves, falou sobre o pedidos que os clubes têm feito à CBF de uma ajuda financeira para que consigam manter o pagamento dos salários de seus jogadores.

Para o dirigente, a entidade máxima do nosso futebol possui dinheiro suficiente para fornecer a ajuda, com lucro proveniente, em parte, do que arrecada com todos os clubes.

O dinheiro da CBF é oriundo de todos os clubes de futebol do Brasil. Todos os clubes do país estão paralisados, claro que a CBF não tem culpa de ter surgido o vírus, mas muito menos culpa têm os clubes, e ela tem receita adquirida de todos esses clubes. Se não ajudar agora, vai ajudar quando? A CBF recebe anualmente de todos os clubes e lucra. Pra quê esse lucro todo se não serve aos clubes nesse momento?- indagou.

A atitude de socorrer os clubes pequenos, para o mandatário do Tigre, seria algo que ele já teria tomado, caso fosse o comandante da confederação.

– Se eu fosse presidente da CBF, já teria oferecido e estaria apenas discutindo quanto seria pra cada clube, clube pequeno, clube da nossa região, clube de série A, que é outro patamar, clube de série B e assim seria feito por mim, caso fosse presidente. Espero que o presidente, além de sorridente, também tenha um coração generoso, seja generoso com seus filiados que tanto contribuem para o enriquecimento da CBF – pressionou.

Josivaldo Alves também insistiu que a CBF ofereça a ajuda e não fique querendo jogar uma parte do ônus aos jogadores, com propostas de redução salarial, o que não seria justo com atletas de clubes menores.

Não adianta querer empurrar para que os atletas abram mão do direito que eles tem, que prorrogue os contratos, que façam isso, eles não vão querer, não vão ceder. Nem os atletas de time grande, que tem uma margem de dinheiro, vão aceitar, imagina de um pequeno que não tem margem nenhuma, já ganham pouco, não ganham nem o que merecem, ganham abaixo do que merecem – finalizou.

Equipe @Vozdatorcida