Aldeone Abrantes defende gramado do Marizão e cobra jogador “desaparecido”

Aldeone Abrantes e Michelle Ramalho, presidente da FPF, na festa de lançamento do Paraibano 2020. Foto: Arquivo pessoal

Em entrevista cedida ao Voz da Torcida na última sexta-feira (17), durante a festa de lançamento do Campeonato Paraibano 2020, o presidente do Sousa, Aldeone Abrantes, defendeu o gramado do estádio Marizão.

Na última semana, imagens divulgadas por uma torcida organizada da equipe, a Resistência 91, mostraram as condições críticas do campo do Dino e indignaram parte da torcida.

Apesar disso, o mandatário do Dinossauro do Sertão minimizou os comentários e afirmou que o problema já está solucionado – exceto dos laudos. Para Aldeone, isso ocorre porque os adversários têm medo de jogar no estádio do Sousa.

– O gramado já está solucionado. É interessante, hoje eu estava olhando o Twitter e vi o gramado do Allianz Parque revirado, porque estavam sendo colocados os tapetes (de grama). O campo do Marizão tinha apenas 30% do campo que precisava ser reposto o tapete da grama e que já foram repostos. Todos eles. O gramado já está completo. Daqui a pouco não vai ter mais nenhum buraco. Mas no ano passado diziam a mesma coisa. Nós fomos estrear contra o Campinense e o treinador (Francisco) Diá me chamou, e disse “rapaz, disseram que o gramado tava ruim e está desse jeito”. É da mesma forma. No dia do jogo contra o Treze vão olhar lá o gramado e depois façam os juízos de valor. Agora o cara foi lá, bateu uma foto enquanto você está consertando o campo, tira a imagem da entrada do campo, não é nem do gramado, e joga nas redes sociais. Os carniceiros não enxergam nada e já jogam na internet. E tem os adversários que tem medo também. O Sousa está desde 2017 sem perder no Marizão. O Sousa foi a única equipe que, por duas vezes, quebrou a invencibilidade do Botafogo-PB, dentro do Marizão. O Sousa, nos últimos três anos que decidiu semifinal ou final com o Botafogo-PB, ganhou as três no Marizão. O Sousa faz mais de 10 anos que não perde para o Treze dentro do Marizão. Esses caras tem que ter medo do Marizão. Todo ano é essa conversa. Quando chegam lá, na estreia do campeonato, está lá o gramado do Marizão e vai ser da mesma forma agora. O Marizão não tem problema de gramado, é só essas questão dos laudos, que estão em todos os estádios da Paraíba – disse.

Sobre os laudos, motivo do adiamento da primeira rodada do Campeonato Paraibano, o presidente diz que todos foram entregues e estão sendo analisados pelo corpo de bombeiros. Além disso, usou a precariedade de alguns estádios cearenses para defender os campos paraibanos, comparando os dois e afirmando que os estádios paraibanos são ‘um Maracanã para lá’.

– Os laudos do Marizão foram entregues, igual os outros. Então o corpo de bombeiros está analisando. Agora, todo mundo conhece os estádios da Paraíba. Quem não conhece os estádios da Paraíba? Lá no Marizão mesmo, nós assinamos um pacto lá. Pediram de tudo. A última coisa que pediram agora foi para fazer um portão ali no campo de jogo, que tem dois portões de entrada e pediram para fazer outro. Foi feito lá. Está com extintor novo, foi comprado. Mandaram desenhar algumas coisas lá, foi feito, alguma setas. Então, eu não sei as razões. Eu fui pro Campeonato Cearense agora, joguei com o Barbalha lá no campo deles, que é o líder do Campeonato Cearense. Se você ver o campo deles, o Marizão, o Perpetão, não vou nem colocar os estádios grandes de Campina e João Pessoa não, o de Patos, é um Maracanã para lá. E está liberado. Eu vi lá o Pacajus jogando, no Campeonato Cearense, eu fui olhar um jogador lá e assisti o jogo do Pacajus, lá em Caucaia. Então o Campeonato Cearense está aí com estádios infinitamente inferiores aos nossos. Agora, os nossos têm uma peculiaridade, e isso aparece o problema na última semana do campeonato, pode prestar atenção, é como se eles quisessem chegar na hora certa e vetar o negócio. Isso não está contribuindo em nada para o futebol da Paraíba, muito pelo contrário. Só prejudicando. Nós viemos do campeonato de 2019 sem nenhum incidente. Qual foi o incidente que houve no Campeonato Paraibano 2019? Pode procurar de Cabedelo à Cajazeiras. Lá no Marizão eu não lembro de nenhum fato relevante nos últimos 20 anos que tenha acontecido, em termo de violência – explicou.

Aldeone ainda aproveitou para cobrar o lateral-esquerdo Jaime, que teria sumido da concentração do clube mesmo após receber o primeiro pagamento. Ademais, definiu o seu grupo no Campeonato Paraibano como difícil e falou sobre o rejuvenescimento da equipe.

– A gente sempre tem (perspectiva de ir para uma semifinal). Eu estava aqui em 2018, nesta mesma festa, quando eu estava em um grupo com Treze, Botafogo-PB e Sousa, e todo mundo dizia que era Treze e Botafogo-PB (que irão se classificar). E o Sousa tirou o Treze e se classificou em 2018. Ninguém pode subestimar o São Paulo Crystal, ninguém está falando deles. Eu sei os jogadores que estão lá, eu conheço o trabalho do Índio, então é um time que pode surpreender também no grupo. O grupo é difícil. Agora, o Sousa tem tudo para se classificar pelo time que nós formamos, um time relativamente jovem, com uma média de idade muito inferior ao de 2019, que ficou  invicto até faltar quatro rodadas, mas era um time envelhecido. Os jogadores não aguentaram. Na hora da reta de chegada, que precisavam do resultado, não teve o fôlego necessário e este ano tem. A equipe é qualificada e jovem. É um time mais alto, mais rápido. Eu tinha volantes pesados, agora temos volantes mais rápidos. É um time totalmente diferente do ponto de vista de formação de grupo. É um time mais regionalizado, que tem mais o DNA do Sousa, porque eu subi dez garotos da base para qualificar e para poderem entrar caso algum jogador queira sair, como foi o caso de um que saiu e já foi reposto. E aliás, eu vou usar o Voz da Torcida para cobrar ele se apresentar. O lateral Jaime, ele desapareceu, ele recebeu dinheiro do Sousa, assinou e desapareceu da noite pro dia. Fez um chilique lá no treinamento e a gente já sabe onde ele está. Então o Sousa Esporte Clube vai convocar o Voz da Torcida para ele comparecer ao trabalho ou então ressarcir o que o Sousa deu a ele. Pague e pode ir embora, jogando aonde ele quiser – completou.

Equipe @Vozdatorcida