Presidente isenta FPF de responsabilidade e explica adiamento do estadual

Foto: Voz da Torcida

Mais um ano chega e, com ele, tumulto fora de campo para se poder começar o Campeonato Paraibano.

Faltando pouco mais de 48 horas para o início programado do torneio, marcado para domingo (19), a presidente da Federação Paraibana de Futebol, Michelle Ramalho, emitiu um comunicado no qual adiava todas as partidas da primeira rodada para o meio de semana devido a falta de laudos para liberar a presença de torcida nos estádios.

Com o estadual de 2019 tendo sido encerrado em 20 de abril, não é possível responsabilizar a falta de tempo hábil para conseguir a documentação.

Entretanto, em entrevista ao Voz da Torcida, na festa de lançamento do Campeonato Paraibano de 2020, em uma boate de João Pessoa, Michelle Ramalho eximiu a FPF de culpa, e afirmou que a situação acontece por conta do governo do estado, responsável pelos estádios Amigão, Perpetão e Almeidão.

– A Federação vem se reunindo desde maio com os clubes, mas a responsabilidade dos estádios é do Estado. A FPF está brigando para abrir os portões, mas não é obrigação nossa. Nossa obrigação é organizar a tabela, cumprir com os prazos e organizar os campeonatos – disse.

A mandatária da FPF continuou explicando a situação que fez com que o certame tivesse que ter seu início alterado.

– Nos últimos três anos foram firmados TACs para que o Estado elaborasse um projeto de combate à incêndio, e nunca foi feito. A FPF, pela primeira vez, se juntou com os clubes e o Estado e tomou a frente do projeto. Pela primeira vez foi feito o projeto, foi protocolado este projeto desde o início de novembro. Ele voltou para alguns ajustes, foi de novo, e já estamos na quinta vez que ele vai e volta, e a Federação está acompanhando – afirmou.

Por fim, Michelle Ramalho garantiu que, após esse problema, o Campeonato terá seu seguimento normal, e com a presença do torcedor nas arquibancadas. Ela ainda entende a situação do Ministério Público não liberar, mais uma vez, o início sem nenhuma providência sobre a questão de segurança ter sido tomada.

– Nunca se esteve num estágio tão avançado para melhorar os estádios. Hoje foi aprovado o projeto de incêndio do PV, do Perpetão, e estava sendo finalizado o do Almeidão e do Amigão. Desta vez o MP não quis fazer o que fez nos últimos três anos (liberar o campeonato sem os laudos), e nos resta obedecer – concluiu.

Equipe @Vozdatorcida