Rafael Oliveira abre o jogo e diz que não recebia salário há quatro meses

A saída do atacante Rafael Oliveira do Treze segue gerando polêmica nas redes sociais. Após a confirmação da rescisão, o jogador se pronunciou pelo perfil pessoal do Instagram e afirmou que não recebia salário no Galo da Borborema há quatro meses, por isso pediu liberação contratual. A diretoria do time alvinegro nega os atrasos, mas até agora não apresentou uma versão oficial.

Em áudio divulgado pelo perfil Futebol 083, o ex-camisa 9 do Treze revelou que o acordo entre ambos foi “amigável” porque ele não pediu mais nada além de sua liberação, nem mesmo o valor que supostamente estava atrasado.

— Foi amigável, pois não me prenderam. Isso que foi amigável. Mas também não recebi nada, nenhuma parte atrasada. Também não falei nada que queria receber, até porque falaram que não tinha dinheiro. Se não tinha dinheiro, peguei minha liberação e fui embora — explicou.

Muitos comentários de torcedores trezeanos nas redes sociais diziam que o atacante estava mentindo e, por isso, ele não teria entrado na justiça. Sobre isso, Rafael esclareceu que não valeria a pena, já que o processo demora muito a ser concluído, mas que pensa em fazer isso para “esfregar na cara” de quem não está acreditando.

— Se eu quiser entrar na justiça, eu entro. Entendeu? Simples. Mas eu não quero entrar na justiça, até porque vai passar um século para receber isso daí. O problema não é nem entrar na justiça, mas dificulta muito eu ter que entrar na justiça para esfregar na cara dos outros que não estão acreditando, para saber que eu tô falando a verdade. Eu não vou pedir para ir embora de um time e ficar desempregado em casa, não existe isso, não tem lógica — relatou.

O atacante contou que outros jogadores do elenco já relataram o mesmo problema, porém não se pronunciam por medo de ser dispensados do clube. Outro atleta do Treze que se pronunciou sobre os vencimentos foi o capitão Breno Calixto. Em participação na Live do VT (11/05), o zagueiro relatou que, na época, parte do mês de março e o mês de maio estavam atrasados.

Todavia, o problema financeiro do Galo da Borborema não é novidade. O Voz da Torcida entrou em contato com um jogador que defendeu o Treze no ano passado e ele informou ter sofrido com salários atrasados no time alvinegro. Atualmente o caso está na justiça e ele ainda não recebeu o valor.

A reportagem contactou o presidente do Treze, Walter Júnior, para apresentar a versão da diretoria do Galo, entretanto, até o fechamento da matéria ele não se pronunciou.

Equipe @Vozdatorcida