Tazinho admite inexperiência e diz que briga do CSP é contra o rebaixamento

Foto: Voz da Torcida

Depois de quatro rodadas, o CSP tem a pior campanha do Campeonato Paraibano de 2019, não tendo somado um ponto sequer ainda, acumulando quatro derrotas.

O time que sempre aposta em jovens jogadores, desta vez não vem conseguindo os resultados que lhe credenciem como surpresa do estadual.

Para o ora treinador, ora auxiliar Tazinho, a inexperiência do grupo de jogadores, no qual boa parte atuou na Copa São Paulo de Juniores, é um obstáculo para ser superado no caminho que o clube precisa traçar para chegar às vitórias. A média de idade dos atletas do time titular que enfrentou o Sousa era de apenas 21 anos.

– Perdemos de novo no detalhe. Quando a fase não está boa, as coisas acontecem de formas negativas. Estávamos melhor, procurando o gol, levamos o gol de falta, mérito do jogador do Sousa. Conversamos no vestiário que precisamos ter equilíbrio durante o 90 minutos mais os acréscimos,  a gente tem altos e baixos devido a inexperiência de alguns atletas – afirmou.

Quanto a situação na tabela, o Tigre foi ultrapassado na última rodada pelo Esporte de Patos, e assumiu a última colocação do Grupo B. Segundo o regulamento do Paraibano, o lanterna de cada chave, ao fim da fase de grupos, é rebaixado. Tazinho admite a frustração, mas alerta que o clube precisa mudar a chave para escapar do descenço.

– A gente queria brigar pela parte de cima da competição, mas agora é outra realidade, brigar pela parte de baixo. Temos que trabalhar a parte psicológica dos jogadores, trabalhar jogo a jogo e procurar se reabilitar o mais rápido possível – lamentou.

Um fato curioso no CSP neste Campeonato Paraibano é que existe uma certa alternância no comando do time na beira do gramado nos jogos. Contra Nacional de Patos, Treze e Sousa, Tazinho dava as instruções da área técnica. Já durante a derrota para o Serrano, Josivaldo Alves, que também é presidente do clube, foi quem se dirigiu aos atletas e foi o treinador naquela peleja.

Para Tazinho, a falta de um comando fixo não influi no rendimento dos atletas, já que os dois estiveram juntos em vários momentos bons, antes da atual fase.

– Eu e Josivaldo sempre estivemos juntos. Nos últimos anos, quando estava brigando pela ponta, estávamos nós dois. Não é agora que a gente está nessa situação que vamos mudar. O CSP tem uma filosofia de trabalhar com garotos, temos jogadores com 17 anos como titular, tem hora que deixa um detalhe a desejar – concluiu.

O CSP enfrenta o Botafogo-PB, pela quinta rodada do estadual, no sábado (09), às 16h, no estádio Almeidão, buscando seus primeiros pontos no torneio.

Equipe @Vozdatorcida