Técnico do Sousa joga favoritismo no Clássico para o Atlético de Cajazeiras

Foto: Fabiano Sousa/ Voz da Torcida

O Clássico do Sertão vai esquentar ainda mais a temperatura de Cajazeiras na quarta-feira (30), pela décima rodada do Campeonato Paraibano, quando o Atlético receber o Sousa, no Perpetão, às 20h30.

Pensando na liderança geral da competição e em tirar as chances do rival ir às semifinais, o Trovão poupou jogadores contra o Nacional de Patos e agora vai com força máxima.

Por sua vez, o Sousa precisa vencer para não depender de um tropeço do Naça diante do Esporte para se classificar em segundo no Grupo A e ir para o mata-mata. Para isso, o treinador Roberto Carlos vem de oito dias de intensos treinamentos, já que a última partida aconteceu no dia 17, quando empatou com o CSP, no Marizão.

– O trabalho foi elaborado desde o jogo diante do CSP. Tivemos trabalho durante o fim de semana, temos um trabalho amanhã a tarde visando esse grande jogo. Sabemos da dificuldade que é o Clássico, sabemos das nossas qualidades mas, respeitando, vamos em busca da classificação que é o objetivo para todos nós. Tenho 20 atletas a disposição, sendo três goleiros, para definir a equipe ideal. Esperamos estar em uma noite feliz para fazer um grande jogo – disse.

Depois de figurar entre as dez equipes invictas do país por algumas semanas, o Dinossauro caiu de rendimento e há quatro partidas não vence. Por isso, está a apenas dois pontos a frente do Nacional. Em caso de empate, se o Canário conseguir a vitória no dérbi patoense, fica com a vaga, já que chegaria a duas vitórias a mais que o Sousa, primeiro critério de desempate. Por isso, para depender apenas de si, o Dino precisa de um triunfo no Perpetão.

– A gente sabe da nossa responsabilidade, já deveríamos estar classificados. Tivemos três empates e uma derrota, se tivéssemos uma vitória já estaríamos classificados. Vamos enfrentar uma equipe que vive um grande momento, eles vão com força máxima, mas o Sousa tem que pensar nele. Vamos trabalhar firme e forte para classificar – afirmou.

Questionado sobre o favoritismo no Clássico do Sertão, o comandante alviverde jogou a pressão para o lado cajazeirense, mas ressaltou que em jogos deste tipo, isso fica apenas na teoria.

– Não tem favorito, mas na gíria da bola o favorito é o Atlético, que vive um grande momento, tem 19 pontos, briga para terminar a primeira fase como líder geral. Mas entre Sousa e Atlético nunca tem favorito. Tive o privilégio de jogar o clássico como atleta em 1994, vou para o terceiro como treinador, já perdi lá em 2015, mas já venci esse ano, no 2 a 0. Vamos como toda humildade, mas sabemos da nossa qualidade – concluiu.

Equipe @Vozdatorcida com informações de Fabiano Sousa