Zagueiro do Treze relata atraso salarial, mas isenta diretoria de culpa

Foto: Divulgação/ Treze FC

Em crise financeira mesmo antes da paralisação do futebol por causa da pandemia do coronavírus, o Treze está se desdobrando para conseguir pagar sua folha salarial. O capitão da equipe, Breno Calixto, participou da Live do VT da última quinta-feira (11) e falou sobre os atrasos no pagamento.

Breno explicou que 18 dias do mês de março ainda não foram pagos. O zagueiro afirmou que o presidente do Galo, Walter Júnior, prometeu ao elenco pagar essa dívida até o dia 15 de junho. Além disso, o mandatário também garantiu o mês de maio até o dia 20 de junho, conforme disse o defensor.

— Prometeram até o dia 20 para pagar. Eu creio que vão pagar, o Walter é um cara bastante batalhador, um cara que vai atrás mesmo, com toda dificuldade e a pouca credibilidade que o Treze tem no mercado — disse o capitão.

Apesar dos atrasos salariais, o jogador entende que a culpa da crise financeira não é da diretoria atual. Para ele, isso é o resultado de más administrações passadas, que acarretaram na falta de credibilidade do Treze dentro do mercado financeiro.

— A culpa não é dos caras que estão aqui agora. A culpa já vem de vários anos de má administração. Muita ação na justiça, todo dinheiro que entra no Treze tem alguma coisa de bloqueio. Os caras tão fazendo de tudo para deixar a gente, pelo menos, com parte do salário. A gente sabe que tá difícil para caramba essa pandemia — relatou o zagueiro.

A dificuldade do Galo da Borborema em pagar os salários em dia não é um problema atual. Entretanto, a pandemia do coronavírus agravou a crise financeira do clube alvinegro.

As atividades no Treze seguem suspensas, já que o futebol está paralisado em todo o estado da Paraíba. Porém, existe a possibilidade da equipe retomar os treinos a partir de 29 de junho, conforme os decretos do Governo do Estado da Paraíba e da prefeitura de Campina Grande.

Equipe @Vozdatorcida