Campinense empata com a Aparecidense e é vice da Série D

Foto: Samy Oliveira

O mesmo filme do jogo de ida se repetiu. O Campinense foi muito superior a Aparecidense e desta vez chegou a abrir o placar com Dione, mas em um vacilo da zaga e na categoria de Samuel, a equipe goiana empatou a partida no estádio Aníbal Batista de Toledo, neste sábado (13), e o placar de 1 a 1, somado com a vitória simples no Amigão no jogo de ida, deram o título da Série D do Campeonato Brasileiro para o Camaleão. O rubro negro paraibano ficou com a segunda posição no torneio, mas com o acesso garantido para disputar a terceira divisão no ano que vem.

A torcida raposeira compareceu ao estádio no interior de Goiás. Foto: Samy Oliveira

Com o gramado muito molhado devido as chuvas e com a qualidade ruim do piso, a partida tinha tudo para ser muito truncada e de difícil movimentação com a bola rolando. O Camaleão contou com o retorno do atacante Alex Henrique para reforçar o time do técnico Thiago Carvalho, enquanto Ranielle Ribeiro, pelo lado dos paraibanos, entrou em campo com força máxima.

Logo no segundo minuto de jogo, Robert recebeu na intermediária do Campinense e chutou firme, no ângulo direito de Mauro Iguatu, que foi buscar e mandou para escanteio.

A primeira oportunidade do rubro-negro aconteceu aos 16 minutos, quando Filipe Ramon aproveitou o gramado molhado para arriscar de longe e Pedro Henrique, astro do primeiro jogo, começou a aparecer, e fez importante defesa de mão trocada para evitar o gol raposeiro.

Em chute de Dione aos 27, a bola desviou na zaga e sobrou para Anselmo, que chegou antes de Pedro Henrique, mas após dividir com o goleiro, o zagueiro Vanderley chegou de carrinho para evitar a finalização, e contou com a sorte que o atacante da Raposa também escorregou, e no meio da confusão, o arqueiro retornou para segurar a bola e acalmar a situação.

Em cobrança de escanteio da direita, aos 29, Ítallo subiu mais que todo mundo e desviou de cabeça, e por muito pouco a bola não entrou. Ela passou tirando tinta do poste direito da meta goiana.

Só dava Campinense, que pressionava a todo momento, jogando praticamente o tempo inteiro no campo adversário. Aos 36 minutos, Felipinho cruzou da direita e Anselmo subiu livre para cabecear, mas mandou mal, a direita do gol, desperdiçando oportunidade clara.

Em uma trama muito bem feita, Serginho Paulista tabelou com Felipinho, tocou para Anselmo dentro da área, que deu de calcanhar de volta para Serginho Paulista bater para gol, mas a bola desviou em Wesley Matos e foi pela linha de fundo.

Segundo tempo

Na volta do intervalo, o treinador Ranielle Ribeiro resolveu teve que tirar Anselmo, com uma lesão no pé e colocar Cláudio em seu lugar, pelo Campinense. Já seu rival, Thiago Carvalho, Rafael Cruz e Rafa Marcos deixaram o time para as entradas de Adriel e Negueba.

E logo no começo do segundo tempo a Raposa abriu o marcador. Em cruzamento de Fábio Lima vindo da direita, o baixinho Dione entrou na área como surpresa e cabeceou para deixar Pedro Henrique paralisado, só olhando a bola estufar a rede em Aparecida de Goiânia.

Foto: Geovanna Teixeira

A Aparecidense tentou responder aos 13 minutos. Após vacilo de Ítallo, a bola sobrou para Robert, que tocou para Negueba. O atacante, na marca do pênalti, bateu de primeira, e Mauro Iguatu, no puro reflexo, mandou para escanteio.

O arqueiro rubro-negro mais uma vez foi providencial aos 29. Robert aproveitou mais um vacilo da defesa rubro-negra e saiu cara a cara com Mauro Iguatu. Na hora do drible, o camisa 1 interviu bem e afastou a bola, evitando o empate.

Mas aos 31 minutos, o time da casa empatou. Filipe Ramon perdeu a disputa de bola para Robert, que mandou na esquerda para Samuel, que com muita categoria encobriu o goleiro do Campinense e deixou a Aparecidense mais perto do título de novo.

A Raposa seguia tentando o gol e após cobrança de escanteio da direita, Cláudio cabeceou sozinho e a bola explodiu no travessão, aos 36 minutos.

Perto do fim do jogo, o tim paraibano tentava pressionar e após cruzamento da intermediária, Pedro Henrique saiu mal e largou a bola nos pés de Cleiton, que tentou colocar no canto, mas o arqueiro se recuperou e fez a defesa, espalmando a bola para a lateral.

E mesmo com a pressão no fim, não deu para a Raposa, que acabou com o vice-campeonato nacional. Na próxima temporada o Campinense tem calendário cheio, com Campeonato Paraibano, Copa do Nordeste, Copa do Brasil, Copa do Nordeste e Série C do Brasileiro.

Ficha técnica

Aparecidense 1 x 1 Campinense (agregado 2 x 1)

Campeonato Brasileiro da Série D 2021
Final – 2º jogo
Estádio: Aníbal Batista de Toledo (Aparecida de Goiânia)

Arbitragem: Raphael Claus (FIFA/SP); Daniel Paulo Ziolli (SP) e Fabrini Bevilaqua Costa (FIFA/SP)

Gols: Samuel (A); Dione (C)
Cartões amarelos: Bruno Henrique (A); Vitinho (C)

Aparecidense: Pedro Henrique, Rafael Cruz (Adriel), Vanderley, Wesley Matos, Rodrigues; Bruno Henrique, Rodriguinho, Robert (Mutuca); David (Samuel), Rafa Marcos (Negueba) e Alex Henrique (Marinho). Técnico: Thiago Carvalho.

Campinense: Mauro Iguatu, Felipinho (Vitinho), Cleiton, Ítallo, Filipe Ramon; Rafinha, Serginho Paulista (Marcos Nunes), Dione (Edinho Corrêa); Matheus Régis, Fábio Lima e Anselmo (Cláudio). Técnico: Ranielle Ribeiro.

Equipe @Vozdatorcida