Comparado com revelações, Botafogo-PB apresenta Evaristo Liza, seu novo treinador

Foto: Voz da Torcida

Na tarde desta terça-feira (12), o Botafogo-PB apresentou oficialmente seu novo treinador.

Evaristo Piza, de 45 anos, vem sob muita desconfiança por parte do torcedor, já que a própria diretoria dizia estar em busca de um profissional que conhecesse o futebol nordestino e tivesse experiência na Série C. Em sua carreira, o novo comandante só trabalhou em clubes do interior paulista, e disputou a Terceira Divisão apenas em 2014, a frente do Guarani, e foi demitido quando lutava contra o rebaixamento.

Quem tratou de fazer as honras para Piza foi o diretor executivo de futebol, Francisco Sales, que explicou a escolha por um treinador fora dos padrões que eram buscados.

– O treinador líder da Série A, o (Maurício) Barbieri (,do Flamengo), nunca tinha dirigido um clube profissional. Na B, Rogério Ceni saiu de um grande centro, São Paulo, e está muito bem no Fortaleza. Não existe fórmula mágica – comparou.

Questionado sobre outros nomes que estiveram na mesa dos dirigentes do clube da estrela vermelha, Sales titubeou. Foi especificamente na pergunta sobre Flávio Araújo, treinador do Treze, que era nome de consenso nos bastidores botafoguenses, mas que foi descartado após a classificação do Galo para as oitavas da Série D.

– A partir do momento que não foi confirmada a tratativa pelo clube, não vou comentar boato. Não foi oficializada a tratativa, então vou preferir não comentar – despistou.

Com a palavra, Evaristo Piza se apresentou para a torcida do Belo.

– Sou um ex-atleta de futebol, e me formei em educação física. Em 2006 comecei meu trabalho no Japão, voltei ao Brasil em 2008 para o Paulínea, um time amador, que formava jogadores. Em 2011 comecei a trabalhar no estado de São Paulo. Tive uma passagem pelo sub-23 do Sorinthians, e depois alguns clubes de Série A2, e conquistei o título com o Capivariano. Disputei a Série C pelo Guarani, com uma cobrança grande, mudança de comando, presidente renunciando, com muitas dificuldades. Mas não deixo de acompanhar outros campeonatos, a característica de cada estado, e estamos atentos ao mercado. Alguns jogadores (do Botafogo-PB) trabalharam comigo em São Paulo, outros jogaram contra. Vi os jogos do Botafogo-PB contra Atlético-MG, Bahia, Santa Cruz, Juazeirense e Globo, então estou embasado – afirmou.

A janela de transferência para a chegada de jogadores na Série C do Campeonato Brasileira vai até o dia anterior ao jogo da décima rodada, a próxima sexta-feira, dia 15 de junho. Com pouco tempo para indicar atletas, Piza diz confiar no grupo e que, caso aconteça alguma contratação, ela já estaria com negociação em andamento antes de sua vinda para o clube.

– Escutamos a diretoria e comissão. É um elenco bem montado, com jogadores de diversas características. Dentro das necessidades, pelo curto tempo para fechar a janela, tem que ser algo pontual. É prudente que a gente traga a confiança do jogador para a gente e passar confiança para ele também. Se houver um jogador do agrado de todos, podemos trazer. Mas acredito que os jogadores que estão aqui darão a resposta. Um ou outro nome foi conversado e que a contratação pode ser concretizada – disse.

Após o anúncio do treinador, ainda ontem (11), houve muito questionamento sobre sua falta de experiência. Piza trata o assunto com naturalidade, e diz que só trabalhando e conquistando os resultados que a torcida deseja vai conseguir mudar a desconfiança dos botafoguenses.

– Temos que trabalhar e ganhar jogo, não tem segredo. Futebol consiste em resultado. Pode vir um grande nome e não ganhar. Sou bem tranquilo e consciente que preciso ganhar jogo. O trabalho, poucos acompanham, só veem os 90 minutos. Então temos que trabalhar durante a semana e trazer o resultado nos 90 minutos – explicou.

A queda de rendimento do Botafogo-PB em campo começou após a explosão de notícias relacionadas à Operação Cartola, que investiga a manipulação de resultados no futebol do estado, e que tem vários dirigentes do clube sendo investigados. Porém, para o novo comandante, não há relação entre os fatos. Entretanto, ele também ressaltou que é preciso que haja um ambiente que preserve o grupo de jogadores, que precisa estar focados apenas no futebol a ser jogado.

– Acredito que a diretoria tem a capacidade de mudar essa situação. Eu acompanhei de São Paulo (notícias sobre a Operação). Os jogadores tem que estar aptos a desenvolver o futebol. Tenho pouco tempo aqui para poder responder essa pergunta. Falei com a diretoria e com a comissão, e não é esse fator que está sendo predominante para a falta de sequência de resultados positivos – finalizou.

Chegam ao Belo, junto com o novo treinador, o auxiliar Thiago Carpine e o preparador-físico Cláudio Roberto.

Equipe @Vozdatorcida