Contra retorno, Nacional de Patos marca reapresentação para treinamentos

Foto: Caio Guilherme/ Voz da Torcida

Mesmo sem confirmações dos órgãos de saúde ou do Ministério Público, os times começam a se preparar para o retorno do Campeonato Paraibano, marcado para o dia 18 de julho. E outra equipe que vai se reapresentar nesta semana é o Nacional de Patos.

Com pouquíssimos leitos de UTI na cidade da Morada do Sol, o Canário do Sertão é contra o retorno das atividades devido ao risco que se apresenta aos atores da bola, que foi ainda mais agravado após a morte de Eduardo Araújo, diretor do São Paulo Crystal, no último fim de semana.

– O Nacional se posiciona contra o retorno, mas fomos voto vencido na FPF e na reunião com os clubes. Temos que respeitar a democracia. Não é o momento pela situação que se encontra o país, com pessoas morrendo de forma exponencial, com letalidade razoável, vide o amigo Eduardo que faleceu sem nenhuma doença pré-existente, um jovem de 33 anos que perdeu a vida – disse Cleodon Bezerra, presidente do Nacional.

Depois de dispensar todo elenco e comissão técnica logo quando da paralisação do estadual, o Naça tem 20 jogadores para a retomada dos trabalhos. Sem o treinador Sérgio China, quem irá comandar a equipe no início de preparação é o ex-atacante e ídolo do clube, Delany Nóbrega, que era auxiliar técnico e dirigiu o time em 2019. Entretanto, outro técnico deve ser anunciado ainda esta semana.

– Vamos nos apresentar quarta e fazer os testes. O prefeito vai fazer os testes a pedido da Federação, e também decretou a liberação dos treinos a partir de segunda (29). Estamos tomando as medidas do protocolo, mas ressaltamos a questão financeira, mesmo a principal situação sendo a questão da pandemia – explicou o dirigente.

Ciel (à esquerda), Patrick e Marinho (cento) retornam ao Nacional para recompor elenco Foto: Zé Filho/ Nacional de Patos

Com mais de 500 mil reais a receber do poder público, Cleodon torce para a regulamentação do projeto Paraíba Esporte Total, que somado ao Programa Gol de Placa, extinto em 2019, renderão 400 mil reais do governo do estado para os cofres alviverdes.

Além disso, 140 mil reais que a Prefeitura de Patos deve ao clube, ainda relativos a 2019, foram parcelados em 10 vezes, mas nenhuma foi repassada. Os pagamentos deveriam ter começado em Janeiro. O mandatário nacionalino conta com a quitação dos débitos atrasados para ter condições de pagar em dia fornecedores e atletas para a sequência do estadual.

Apesar das dificuldades, o dirigente descarta não colocar o time em campo devido as pressões para que o torneio fosse retomado, com a alegação de que o regulamento precisa ser cumprido, como destacado por Aldeone Abrantes ao Podcast Minutos Finais.

– Vamos colocar o time pois não podemos aceitar a questão do rebaixamento – encerrou.

Equipe @Vozdatorcida