Dupla do Treze destaca importância do treinador em recuperação

Foto: Cassiano Cavalcanti

O Treze chegou a ficar 10 jogos consecutivos sem vencer, mas em quatro partidas, Wellington Fajardo tirou o time da lanterna do Grupo A3 da Série D do Campeonato Brasileiro e colocou o alvinegro no G4 da chave, que classifica para o mata-mata da competição.

Sob seu comando, o Galo perdeu para o América-RN em casa, venceu o Caucaia-CE duas vezes, e empatou em novo confronto com o Mecão, este no último fim de semana, em uma partida na qual abriu uma vantagem de 2 a 0, mas acabou sofrendo dois gols nos últimos minutos da partida, mas conseguiu um resultado suficiente para dar um grande salto na tabela.

Um dos jogadores mais importantes dessa remontada é Anderson Gindré. Contratado ainda a pedido do ex-treinador, Tuca Guimarães, para atuar como atacante, ele foi recuado para ajudar na armação das jogadas e tem sido efetivo atuando com a camisa 10 em uma posição que não é sua de origem. E ele credita o bom momento também a uma mudança de sorte para o time do bairro São José.

– O trabalho que o Tuca vinha fazendo era muito bom, mas não demos sorte. E agora o Fajardo não mudou muito, implementou algumas coisas e tem dado certo, dado resultado. Ele é um treinador que ajuda muito e dá muita confiança para os atletas. É um professor muito tranquilo, e tem sido o diferencial neste momento – afirmou o meia-atacante.

Outro atleta que virou titular absoluto e é pilar da atual equipe trezeana é o zagueiro Euller Viana. Ele começou a atuar mais quando Tuca Guimarães passou a utilizar uma formação com três zagueiros, e se consolidou mesmo no 4-4-2 adotado por Wellington Fajardo, a quem ele credita os louros da melhora.

– O time vem em uma evolução muito grande com a chegada do Fajardo, que é um grande treinador, cobra bastante a gente, dá confiança. Agora é seguir evoluindo para garantir a classificação, que é o mais importante para nós – disse.

O defensor tem tido papel importante e já marcou três gols nesta Série D, sendo artilheiro da equipe juntamente de Anderson Gindré, e um desses gols foi contra o América-RN. Sobre o confronto do último sábado, apesar de deixar a vitória escapar no fim, ele espera aprender com os vacilos cometidos. E sobre a próxima partida, o Clássico dos Maiorais, contra o Campinense, ele, que desfalcará o time por ter tomado o terceiro cartão amarelo, tem confiança que seus companheiros darão conta do recado.

– Foi um empate com sabor de derrota, mas saímos de lá com a cabeça erguida pois fizemos um dos nossos melhores jogos. É pegar esse empate como aprendizado para que não aconteça novamente nos próximos jogos. Infelizmente tomei o terceiro cartão, mas tenho certeza que quem entrar no meu lugar vai fazer uma boa partida e dar uma vitória para o Treze – declarou.

Galo e Raposa se enfrentam às 16h do próximo domingo (08), pela décima rodada da primeira fase da quarta divisão nacional. O alvinegro é o quarto colocado na tabela, com 12 pontos, enquanto o rubro-negro tem 14, e está na terceira posição.

Equipe @Vozdatorcida