Técnico quer melhora nas finalizações do Treze em semana decisiva

Foto: Cassiano Cavalcanti

Duas vitórias consecutivas e o fracasso dos adversários direitos foram o bastante para que o Treze retomasse o páreo na briga por vaga na classificação para a segunda fase da Série D do Campeonato Brasileiro. Com os mesmos 11 pontos de Atlético-CE e Campinense, que encerram o G4, a equipe terá uma sequência de confrontos diretos em que vai precisar errar o mínimo possível para pontuar.

Neste sábado, o primeiro confronto direto será contra o América-RN, na Arena das Dunas. A equipe potiguar ocupa a segunda posição do Grupo A3, com 14 pontos. Para a partida, Wellington Fajardo quer que o elenco galista busque melhorar onde mais errou no último jogo, mesmo com a vitória, as finalizações.

– Tivemos muitas chances criadas, isso é muito bom. Quando você tem muita chance para fazer e não deixa o adversário fazer porque o adversário está lá para te complicar, fazer o gol deles. Conseguimos neutralizar o adversário e criar chances de gols, embora tenha concluído apenas três. O que mostra que precisamos enfatizar o trabalho de finalização, caprichar no último toque para que a gente não passe tanto aperto. Vamos passar a semana focados nisto – afirmou.

Mesmo com os erros aparentes na partida contra o Caucaia, Fajardo está satisfeito com a evolução apresentada pelo elenco em poucos dias de trabalho.

– É inegável que houve, realmente, a melhora. Quando cheguei, há 20 dias, o time estava na lanterna do campeonato e há dois meses sem vencer. Os números dizem que houve essa melhora, mas acreditamos que temos muito ainda para evoluir. O que mais fico satisfeito é que houve um entendimento da metodologia de trabalho muito rapidamente, os jogadores não só sabem jogar futebol, mas têm a questão cognitiva de entendimento que estamos conseguindo implantar nos jogos. Falta muita coisa ainda, mas para esse período eu estou bastante satisfeito com os resultados – ressaltou.

Para a sequência, com mais seis rodadas, o Treze disputará 18 pontos essenciais para buscar o avanço na competição. E, segundo Fajardo, cada uma das seis partidas será encarada como uma final.

– Esses sete pontos foram para a gente tentar minimizar o déficit de pontos. Temos confrontos diretos, decisões. E toda decisão requer uma atenção especial, foco maior, estudo maior. Não é um jogo normal, vamos jogar como se fosse o último jogo de nossas vidas – finalizou o treinador.

Equipe @Vozdatorcida