Futebol paraibano repercute por fraudes no auxílio emergencial

Foto: Divulgação/FPF

Mais uma vez, o futebol paraibano voltou às reportagens investigativas da Rede Globo.

Agora, o programa “Esporte Espetacular” realizou uma apuração e descobriu que dirigentes, atletas do Botafogo-PB e até familiares do jogador Hulk solicitaram o auxílio emergencial, e foram aprovados, sem ter direito.

Na Federação Paraibana de Futebol (FPF), os dois nomes são da vice-presidente e diretora de futebol feminino, Thalyta Gomes, de 23 anos, e de Gerson Tomaz da Silva Júnior, dirigente de registro da FPF. Ambos possuem boa condição financeira e não responderam aos questionamentos da reportagem.

Entre os familiares de Hulk, jogador do Shanghai SIPG FC e ex-Seleção Brasileira, estão as irmãs do atleta, Gilvania Vieira, Givanilda Vieira, Jessica Kelly Vieira e Mayara Kessia Vieira. A primeira, recebeu as parcelas de R$ 600, enquanto as três últimas embolsaram R$ 1.2000, alegando ser mãe solteira e vulnerável.

Já entre os jogadores do Botafogo-PB, a reportagem identificou fraude no recebimento por parte de três atletas: os goleiros Jean Vitor e Rhuan, além do volante Rogério. Os dois primeiros, os arqueiros, se pronunciaram e disseram que já devolveram o valor do auxílio, justificando que não sabiam que não tinham direito de receber. O meio-campista ainda não se pronunciou oficialmente.

Em nota, a FPF afirmou que foi pega de surpresa com a notícia e alegou não compactuar com irregularidades, mas não informou se tomará alguma medida em relação aos seus dois funcionários.

Imagem
Foto: Reprodução

Equipe @Vozdatorcida