Genivaldo relembra título histórico diante do Treze em 2013 em Campina Grande

Foto: Magnus Menezes / Jornal da Paraíba

A histórica retomada do Botafogo-PB pra cima do Treze, no Campeonato Paraibano de 2013, completou sete anos no último sábado (30). Um dos titulares naquela partida foi o goleiro Genivaldo, que participou da Live do VT da última terça-feira (26) e comentou sobre a emoção deste jogo.

Esse triunfo possui vários motivos para ser especial para o torcedor botafoguense, mas um dos principais foi a quebra do jejum de dez anos sem conquistar o Paraibano. O clube vivia uma reestruturação, e umas das peças importantes nessa reconstrução do Belo era o goleiro Genivaldo, que relembrou das dificuldades da época.

— Nesse período de 2009 para 2013 foi muito difícil. O clube estava se reformulando, se estruturando, então foi em 2010 que eu realmente ganhei meu primeiro título no clube, que foi a Copa Paraíba. E logo em seguida, 2011 e 12, duas vezes batemos na trave. É dolorido porque o clube faz um planejamento e chega no final e não dá certo. Em 2012 o professor Marcelo (Vilar) estava no Treze, era ele o treinador, e no ano seguinte ele veio para o Botafogo-PB — recordou o goleiro.

Como lembrou o arqueiro, Marcelo Vilar rumou de Campina Grande para João Pessoa em 2013 e foi o comandante do título botafoguense. O Belo perdeu o jogo de ida, no Almeidão, por 1 a 0, com gol de Birungueta, que havia entrado no segundo tempo.

O Botafogo-PB tinha o grande desafio de vencer o Galo, em pleno Amigão, por pelo menos dois gols de vantagem depois de ter perdido o jogo de ida por 1 a 0, em João Pessoa. Entretanto, o time da capital foi além e triunfou por 3 a 0, com gols de Wanderley, Hércules e Ferreira. Genivaldo foi titular nas duas partidas da final e comentou sobre a motivação da equipe pessoense para o jogo da volta.

— Ele (Marcelo Vilar) fez um plantel muito competitivo. A gente enfrentou altos e baixos juntos. Quando chegou naquela reta final, realmente o grupo cresceu. Eu tinha certeza que foi um momento muito difícil, eu me lembro que a gente perdeu por 1 a 0 em casa e depois tinha que tirar a diferença em Campina Grande. Mas é fantástico porque o clima que estava na semana era muito bom. Era difícil pelo resultado que foi negativo no jogo de ida, que foi em casa, só que foi uma semana de superação, de motivação. O Marcelo Vilar, junto com a comissão, conseguiu manter o foco para a gente não se desconcentrar. Sabíamos que era difícil, mas não impossível. Então é um dos títulos que ficou marcado na minha trajetória — relatou.

Equipe @Vozdatorcida