Goleadas no futebol feminino revelam mais deficiências que méritos

Foto: Ana Flávia Nóbrega

O Campeonato Paraibano de Futebol Feminino começou, neste fim de semana com a realização de dois dos três jogos marcados. Em ambos, os resultados finais foram de goleadas elásticas. O Botafogo-PB, no sábado, recebeu a Perilima na Maravilha do Contorno com o cartão de visitas de 8 a 0. Já o Treze, no domingo, recebeu o Kashima na cidade de Mataraca, onde manda os jogos, e venceu por 7 a 0.

Apesar de os placares revelarem méritos do trabalho árduo de ambas as equipes, goleadas no futebol feminino representam sempre algo a mais do que ocorre dentro das quatro linhas e 90 minutos de partida. Diferente dos seus adversários, Belo e Galo tiveram um maior tempo de preparação, construção da base do time com antecedência, possuem apoio e estrutura para que as atividades sejam desempenhadas.

Do outro lado, a Perilima, que faz sua estreia na competição neste ano, teve o intervalo de 11 dias entre a montagem do elenco e a goleada por 8 a 0. Mesmo com Cristiano Recife, um técnico experiente em enfrentar pedreiras à frente, a Águia de Campina Grande não possuí, nem de longe, a mesma estrutura do Belo para que a disputa se dê de forma parelha.

Gleide Costa, técnica do Botafogo-PB reconhece a diferença técnica e de preparação como preponderantes para a construção do resultado.

– A equipe da Perilima é uma equipe nova, que enfrentou uma equipe que tem uma maior estrutura e tática mais sólida. É natural que a gente vencesse o jogo, mas isso [o placar elástico] não representou muito. A Perilima está iniciando essa jornada e nós parabenizamos a todos que fazem. O resultado final não quis dizer essa discrepância toda, é mais questão de preparação mesmo – avaliou Gleide Costa.

Do outro lado, Cristiano Recife elencou os problemas que levaram aos oito gols tomados pela sua equipe, que também retraram a ineficiência em chegar com perigo próximo a meta das alvinegras.

– O placar não foi injusto porque o Botafogo-PB vem do Paraibano, do Brasileiro… estão treinando junto há muito tempo, o nível é muito diferente. Montei uma equipe em 11 dias, não tive nem tempo para treinar e, infelizmente, aconteceu o que aconteceu. Hoje eu estou limitado, não tenho um elenco completo que troca e é o mesmo nível [como o Botafogo-PB]. Não tenho. Fiz uma peneira de última hora para trazer meninas para o elenco e hoje tenho meninas de 17 anos, 16 anos… só tenho Fabiana [Fabi] e Gleyce [Pepa] que são as mais experientes, e com duas andorinhas só, não se faz verão. Vamos buscar mais peças para recompor as nossas necessidades para buscar a vitória na próxima partida. Não vamos baixar a cabeça, vamos voltar a trabalhar que teremos o Avaí pela frente – declarou o treinador da Perilima.

Na segunda partida, entre Treze e Kashima, a goleada foi do estreante. As Alvinegras da Borborema voltaram ao Campeonato Paraibano depois da única participação em 2011 com uma parceria com o Clube Atlético Maníacos. Além disso, mesmo representando as cores do time de Campina Grande, a equipe treina e manda seus jogos na cidade de Mataraca, no litoral paraibano.

A sede na cidade tem como fruto primário o incentivo e apoio da prefeitura da cidade ao elenco, que também conta com a presença de muitas meninas da região e colocam a cidade de Mataraca no mapa do futebol. Com estrutura, o Treze iniciou a preparação para a competição há mais de um mês, realizou peneira, conseguiu reforçar o elenco com jogadoras com boas atuações em outras equipes nordestinas e, mesmo correndo por fora, pode surpreender mesmo às equipes que já levantaram a taça da competição, como o Kashima.

Leandro Amaro, técnico da equipe galista, também relativizou a goleada. Para ele, o tempo e a estrutura disponível para que o trabalho seja realizado são os fatores que mais pesam na balança.

– Estamos na belissíma cidade de Mataraca há 37 dias tendo apoio total da gestão municipal que está nos apoiando com logísitca e com o financeiro também, que é fundamental para se fazer um time feminino competititvo. Formamos um grupo que vem fazendo uma bela pré-temporada, temos grandes profissionais trabalhando junto que vieram somar conosco. A nossa estreia foi contra uma equipe que já foi campeã e o que nos fortaleceu foi a força do nosso grupo, da união e de jogar em Mataraca. A partida foi muito dura e o placar é enganoso. As equipes que tiveram uma temporada de, no mínimo, 30 dias, elas se sobressaem as outras. O Botafogo-PB tem campo para treinar, tem uma equipe técnica multicampeã. A mesma situação do Treze. Isso afetou muito nos resultados. Quando falo que o resultado é enganoso, o que quero dizer é que no futebol feminino são placares construídos por trabalhos duros. A Perilima fez grande investimento, mas o tempo de trabalho peca muito, mesma coisa do Kashima, mesmo com excelentes jogadoras. Esses placares não demonstram o quanto foi difícil. O torcedor pensa uma coisa, mas para nós que estamos na parte técnica temos que olhar como ele foi construído. Eles mostram as equipes que tiveram mais tempo e possuem um corpo técnico mais estruturado – relatou Lendro Amaro.

O Kashima, mesmo tradicional, com montagem de elenco com nomes fortes no Nordeste e com um técnico renomado no futebol feminino e com passagens na Europa, Celio Lino, passou por algumas dificuldades nos últimos dias. Através das redes sociais, a equipe informou que havia sido impedida de realizar os treinamentos no CT Ivan Tomaz e precisou recorrer ao secretário de esportes de João Pessoa, Kaio Márcio, para rever a decisão.

Outro exemplo que deixa clara a dificuldade na montagem dos elencos está no adiamento da partida entre VF4 e Avaí, que seria realizada no último sábado, às 16h.  Pouco antes da partida, a Federação Paraibana de Futebol (FPF) informou que o jogo não poderia ser realizado em virtude da instabilidade no sistema de registro de atletas da CBF. O Boletim Informativo Diário (BID) constou apenas nove jogadoras do Avaí, registradas às vesperas do início da competição.

Até o momento, a FPF não informou uma nova data, mesmo trazendo uma modificação de tabela à público nesta segunda-feira.

Imagem: Divulgação FPF

Equipe @Vozdatorcida