Matheus Camargo garante Campinense “encorpado” para decisão

Matheus Camargo deixou a Raposa. Foto: Daniel Lins/ Campinense Clube

Ao bater o Sousa nos pênaltis, o Campinense Clube carimbou a sua terceira final do Campeonato Paraibano consecutiva, a quarta em cinco anos. Diferente das últimas edições, quando enfrentou o Botafogo-PB, a final será um Clássico dos Maiorais.

O maior confronto do estado volta a ocorrer em uma decisão após 12 anos. O último paraibano com Galo e Raposa na final foi em 2008, com a conquista do décimo oitavo título estadual para o time do Renatão. Para o lateral-esquerdo Matheus Camargo, o encontro das equipes ser em uma final é algo diferente, mas a pressão a mais existente não muda o trabalho a ser feito.

– Sabemos que final é final mas, se tratando de clássico, sabemos da sua importância aqui na cidade, na região, no país. É um clássico muito grande. Mas não tem essa de pressão, temos que fazer o que sabemos, temos que melhorar tecnicamente e nós sabemos disso, vamos melhorar. Temos uma semana de treino para conseguir encorpar, definir bem taticamente o que temos que fazer e colocar na cabeça que temos que ser campeões – disse.

Apesar da grave crise financeira que vive, o clube da Bela Vista tem seguidamente figurado entre os finalistas da competição nos últimos anos, mesmo com desconfiança em elencos baratos e sem opções de grande qualidade. É em cima dessa superação que Camargo espera sair vencedor de mais uma batalha.

– Nós chegamos até aqui com muitas dificuldades, muita desconfiança desde o começo da pré-temporada. Lá em novembro já estávamos sob desconfiança do torcedor, às vezes da diretoria, às vezes das pessoas próximas, mas provamos que podemos, que conseguimos chegar e que vamos chegar. Estamos na final, vamos fazer de tudo para ser campeões para dar alegria ao torcedor e deixar o título aqui no Campinense – afirmou.

Mesmo em mais uma disputa de título, o rubro-negro tem apresentado um fraco futebol, que chega cercado de desconfiança. Ainda que enfrente um adversário que vem embalado, Matheus Camargo não vê o Treze como favorito. Ele reconhece que o rubro-negro não têm feito boas exibições, mas elogia o respeito tático do grupo durante os jogos.

Para o mineiro de 24 anos, um fator decisivo para o baixo rendimento tem a ver com longo tempo parado devido a pandemia do novo coronavírus e do pouco tempo de trabalho do elenco junto ao técnico Nei Júnior.

– Ele acabou chegando muito em cima e não tivemos muito tempo de treinamento juntos para fazer essa parte técnica e tática. Mas na superação conseguimos chegar na semifinal, chegamos na final e a cada jogo viemos crescendo mais. Temos uma semana agora para a final, esperamos poder acertar esses detalhes técnicos para chegar lá com o corpo, com o estilo de jogo bem definido para conseguir a vitória e ser campeão estadual – explicou.

Equipe @Vozdatorcida