Médico do Treze explica “protocolo” para utilização do Kit-Covid

Foto: Reprodução

Lúcio César, médico do Treze, fez um pronunciamento na noite de ontem (09) falando sobre uma das polêmicas do descaso do clube com relação aos atletas contaminados pela Covid-19, que foi a distribuição do tratamento chamado “Kit-Covid”, composto por medicamentos que não têm eficácia científica comprovada no combate a doença.

Em um vídeo com vários cortes, o doutor explicou o procedimento com relação aos jogadores, que estão isolados e, segundo ele, recebendo tratamento individualizado para monitorar suas situações.

Entretanto, como afirmado ontem ao Voz da Torcida, alguns atletas seguem negando o fato, com o exemplo claro que outro jogador contaminado que precisou levar Leandro Santos para ser internado no Hospital Pedro I com aproximadamente 50% da capacidade pulmonar comprometida.

– Estão em uso de medicação, acompanhamento e repouso. Todos estão passando relativamente bem. Eles seguem o protocolo como qualquer outra pessoa que esteja acometida pelo Covid. Eles recebem toda assistência de forma que não tenham contato com outros jogadores ou pessoas em geral – disse.

O médico trezeano explicou o uso dos remédios Ivermectina, Corticorten e Azitrhophar para que os infectados fizessem o chamado “tratamento precoce” da doença.

– É um protocolo que é unanimidade no município, que é individualizado, onde a gente administra o antibiótico e as outras medicações de consenso médico, é uma responsabilidade médica – declarou.

Nas últimas semanas, Campina Grande destacou-se negativamente dentro do estado por conta da ocupações dos leitos de Covid-19 chegando ou estando próxima dos 100% praticamente todos os dias. A situação é tão grave que desde o início da pandemia, pela primeira vez um gestor municipal tomou medidas mais duras, fechando academias, parques e outros locais da cidade.

Ainda assim, de acordo com Lúcio César, a efetividade do uso de medicações que não possuem evidências científicas que comprovem seu efeito no tratamento do novo Coronavírus é efetivo e satisfatório.

– É um protocolo que a gente segue em Campina Grande que provou-se ser bem efetivo, teve uma efetividade satisfatória na medida do possível – concluiu.

O vídeo completo pode ser visto CLICANDO AQUI.

A diretoria do Treze foi procurada pelo Voz da Torcida para rebater as acusações dos atletas. Entretanto, questionado se gostaria de falar a respeito, ao repórter Iaco Lopes, o presidente Walter Júnior respondeu simplesmente “Não!”

Equipe @Vozdatorcida