MP irá solicitar abertura de inquérito para apurar aglomeração no Carneirão

Foto: Voz da Torcida

Chamou atenção na partida entre São Paulo Crystal 2 x 1 Campinense, além do péssimo gramado do estádio Carneirão, que parecia um lamaçal, a aglomeração na parte coberta reservada para as cabines de imprensa da praça esportiva.

Em meio de pandemia de Covid-19 que já custou a vida de mais de 373 mil brasileiros, um dia depois da presidente da Federação Paraibana de Futebol, Michelle Ramalho dizer em rede nacional, no programa Bola da Vez, da ESPN Brasil, que o Campeonato Paraibano é disputado sob um rígido protocolo de segurança para evitar o contágio pelo vírus, o que se viu na tarde de domingo foi totalmente diferente.

Em meio a recomendação do controle de pessoas nos estádios, presidente da FPF recebe prefeita de Cruz do Espírito Santo no estádio Carneirão.

Na parte mais alta do setor, pessoas se aglomeravam em um espaço muito pequeno. O clima chuvoso também fez com que mais pessoas ainda buscassem abrigo no local coberto, o que gerou desconforto em profissionais credenciados que trabalhavam no local.

Pessoas se aglomeram nas dependências do estádio Carneirão durante São Paulo Crystal x Campinense. Foto: Voz da Torcida

Ao ver as imagens do ocorrido, procurado pelo Voz da Torcida, o presidente Comissão de Prevenção e Combate a Violência nos Estádios da Paraíba e Procurador do Ministério Público, Valberto Lira, informou que irá solicitar a abertura de um inquérito policial para apurar a aglomeração, que se trata de crime previsto no Código Penal, conforme apontado pelo magistrado.

Após a divulgação das imagens, o São Paulo Crystal foi até suas redes sociais explicando o ocorrido. De acordo com a nota assinada pelo presidente da agremiação, Múcio Carlos Lins Fernandes, o clube cumpriu as exigências da FPF de que limita em 50 profissionais por clube durante as partidas.

Ainda segundo o dirigente, as 29 pessoas que estavam no “camarote” do local faziam parte deste número, o que deixariam apenas 21 para sua quota que deve incluir jogadores e membros da comissão técnica. Entretanto, a conta não bate, pois além dos onze titulares, o Carcará tinha doze jogadores no banco de reservas, isso sem contar com treinador e outras pessoas da comissão.

O comunicado, que ainda diz que todas as pessoas estavam testadas negativamente para Covid-19, pode ser visto na postagem:

Equipe @Vozdatorcida