Vice-de futebol também deixa Botaogo-PB, que terá mais mudanças

Foto: Reprodução

Após reuniões que começaram na manhã desta quinta-feira (06), poucas horas após a eliminação nas semifinais do Campeonato Paraibano para o Treze, no fim da tarde, o presidente do Botafogo-PB, Sérgio Meira, respondeu a perguntas enviadas para a assessoria do clube.

Antes, o dirigente reconheceu o mal momento e chegou a usar a palavra “crise” para descrever a situação atual na Maravilha do Contorno. Mostrando abatimento, o mandatário botafoguense dirigiu a palavra ao torcedor.

– Quero me desculpar diante da torcida, diretores e todos que torcem pelo Botafogo-PB pela partida de ontem e por não participar da final do Campeonato Paraibano. É um momento de tristeza. Está faltando apenas três meses para a conclusão do meu mandato, e ainda não havia passado por nenhuma crise como essa. Não adianta fazer uma boa gestão administrativa se o resultado em campo não vem – disse.

Na sequência, Sérgio Meira, assim como na saída de Evaristo Piza, afirmou que a revolta do torcedor, desta vez com a eliminação do estadual, foi um dos motivos para que o clube demitisse o técnico Mauro Fernandes.

– Decidimos pelo afastamento do treinador Mauro Fernandes. Eu vinha falando que um dos motivos da contratação do treinador é que a torcida não iria aceitar que não conquistássemos o Campeonato Paraibano, e vocês viram que não aceitou a derrota, principalmente da forma que foi. Foi um impacto muito grande, a cobrança foi grande, não só dos torcedores, também da diretoria. Conversamos com Mauro, que é um grande treinador, mas não correspondeu a expectativa da torcida e da diretoria – explicou.

Enquanto vai em busca de outro nome, que pode vir do futebol paulista, Warley vai assumir o comando interino da equipe, assim como aconteceu em março. O Botafogo-PB estreia na Série C no próximo domingo (09), às 20h, contra o Ferroviário-CE, fora de casa. O presidente do Belo disse que se reuniu com os jogadores para cobrar mais empenho na sequência da temporada, e garantiu que a mentalidade segue sendo a busca pelo acesso, mesmo com desempenho abaixo da expectativa desde o início do ano.

– Warley assume interinamente. Estamos contactando alguns treinadores. Conversamos agora há pouco com os jogadores e fizemos um pacto para que eles possam assumir o que sabem fazer, que é jogar futebol. Estamos em dia com nossos compromissos, e a gente precisa cobrar isso deles, para responder dentro de campo. Se não tiver resultado, a crise vai ser grande. A gente sabe disso, e eles sabem também – afirmou.

Além de Mauro Fernandes, outra mudança significativa nos bastidores botafoguenses será na vice-presidência de futebol. Ariano Wanderley, um dos responsáveis pela montagem do atual elenco, após a derrota contra o Treze, pediu desligamento da função por não poder acompanhar o dia dia do clube. O agora ex-dirigente também faz parte dos grupos considerados de riscos para contaminação pelo Covid-19.

Ainda sem nome para o cargo, Rennan Cavalcanti, diretor de marketing do clube, acusado por Evaristo Piza de interferir no futebol, fato também citado pelo ex-dirigente Breno Morais, vai trabalhar como uma espécie de auxiliar da vice-presidência de futebol, acompanhando o grupo de jogadores em viagens e treinamentos.

– Ariano Wanderley, ainda ontem a noite, me mandou uma mensagem, alegando que faz parte do grupo de risco do Covid-19. Disse que não estava contribuindo da melhor maneira possível e pediu o afastamento, e eu aceitei. Ele disse que nos apoia no que for possível, mas não pode cumprir o papel de vice-presidente de futebol. Não tive nem como contestar. Nós convidamos para fazer parte da vice-presidência, antes de efetivar um vice-presidente, o Rennan Cavalcanti, do marketing, que é um jovem que acompanha futebol. A gente precisa de uma pessoa que esteja mais junto do grupo. Ele será o assessor para assuntos de futebol – explicou.

Ariano Wanderley foi braço direito de Sérgio Meira desde o afastamento de Breno Morais da atual gestão. Foto: Edônio Alves/ PhotoSports/ Voz da Torcida

Outro ponto tocado pelo presidente Sérgio Meira foi a chegada de um executivo de futebol, que estava sendo planejada, de acordo com o dirigente, mesmo antes da queda de Mauro Fernandes. O profissional da área, remunerado, ocupará a função que era Fernando Gaúcho, em 2019. O cargo foi ocupado antes também por Francisco Sales, que hoje está no Santa Cruz como analista de desempenho.

– Estamos em conversação com um executivo de futebol, uma pessoa que tem experiência vasta com o futebol, e logo logo vamos estar anunciando este nome. Já estávamos tratando desta contratação para focar na Série C – declarou.

Mudanças no elenco

Com a queda de arrecadação provocada pela ausência da equipe na Copa do Brasil do ano que vem e sem a garantia de disputar a fase de grupos da Copa do Nordeste, o Botafogo-PB vai começar desde já a desoneração de sua folha salarial, uma vez que essas cotas cairiam na conta do clube ainda no fim deste ano. Com isso, Sérgio Meira afirmou que os jogadores que tenham propostas e queiram deixar a equipe estarão livres para negociar seu desligamento com a diretoria.

Ele também explicou que as multas para rescisões contratuais impedem que muitas mudanças sejam feitas imediatamente no grupo de jogadores.

Equipe @Vozdatorcida