Técnico brasileiro na Bolívia foi sondado pelo Campinense

Foto: Arquivo pessoal

Depois do declínio de Ruy Scarpino, da saída de Evandro Guimarães e da recusa de Higor César para assumir o comando do Campinense, o time segue no mercado em busca do novo treinador.

Já classificado para as semifinais do estadual, que não tem data para acontecer, o time ganha certa tranquilidade para tentar escolher um profissional que, desta vez, chegue a dirigir a equipe.

Vivendo um momento de contenção de gastos, tanto que reformulou a equipe em busca da diminuição da folha salarial, a Raposa fez contato fora do país para tentar achar seu próximo técnico.

Atualmente na Bolívia, onde aguarda apenas a definição do calendário do retorno do futebol no país para assinar com sua nova equipe, Cleibson Ferreira, de 47 anos, e que já dirigiu Atlético de Cajazeiras e Sousa, na Paraíba, foi contactado por representantes do clube rubro-negro de Campina Grande.

Sem proposta oficial no papel, mas em negociação salarial, o técnico aguarda uma posição do Campinense para definir sua situação no país onde vive atualmente. Caso haja acerto, ele voltará a disputar uma semifinal do Paraibano, assim como aconteceu em 2017, quando dirigia o Trovão Azul.

Foto: Arquivo Pessoal/ Cleibson Ferreira

Em sua carreira, Cleibson também chegou da dirigir o Maranhão Atlético Clube, CSE-AL, América-PE, e recentemente esteve no Destroyers (Bolívia) e Port Moresby (Papua Nova Guiné).

Nos dois jogos de retorno do estadual, contra Botafogo-PB e Atlético de Cajazeiras, a Raposa foi dirigida pelo novo auxiliar-técnico permanente, Hélio Cabral. O time começou a temporada comandado por Oliveira Canindé, campeão da Copa do Nordeste de 2013 pelo clube, mas que deixou a equipe pois não se encaixava a nova realidade financeira imposta pela direção.

Equipe @Vozdatorcida